Fusca

Fusca

sábado, 30 de outubro de 2010

KAMEI

Acessório tem nome.
Hella, Rossi, Cibiê, Iam, Arpra, Jokon, SWF, Norfol, Aprillia, Antoninho, Okrasa, Hazet, VDO, Motometer, Kienzle, Dehne, Wegu, Rosenthal, Truffi, Blaupunkt, Telefunken, Judson, Becker, Ghe Happpich, Bosch, Beck, Rimi, enfim, diversos foram os fabricantes que imprimiram sua marca para criar acessórios visando melhorar o conforto, o desempenho, a segurança ou simplesmente a estética do besouro. Vamos a mais um capítulo dessa saga.

Kamei. Lembre-se desse nome. Foi um dos principais fornecedores de acessórios para o fusca nos EUA, Alemanha e, com menor intensidade, no Brasil.


Kamei é um acrônimo de Karl Meier, ex-funcionário da Volskwagen alemã que criou sua própria empresa em 1949. A empresa foi fundada em Wolfsburg, Alemanha, cidade sede da VW.
A empresa de Meier começou produzindo capas para os bancos dos fuscas (sim, amigos, essa moda é muito antiga e começou na Alemanha!). Essas capas eram vendidas para as concessionárias VW.


Seus produtos fizeram sucesso imediato e, nos 30 anos seguintes, a Kamei tornou-se quase um sinônimo de acessórios para o fusca. Adiante, anúncio de julho de 1956 da Kamei. Percebe-se, pela ordem: na primeira imagem: encosto de cabeça, descança-braço, encosto de joelho e bancos reclináveis; segunda imagem: bancos reclináveis; terceira imagem: bagageiro de teto com capa de proteção.



Um dos acessórios mais populares foi a tampa para o chiqueirinho. Ele aliava a vantagem de se poder guardar objetos e, ainda, propiciava menor nível de ruído do motor no interior do veículo.


Em 1952 o fusca perdeu um dos porta-luvas. As pessoas precisavam de lugar para colocar suas coisas. A Kamei desenvolveu um porta trecos que era instalado embaixo do painel visando atender essa demanda. Era feito em material plástico. Os porta-trecos eram fornecidos para as concessionárias tinham o logo VW estampado na peça.


Abaixo, folder da Kamei com o porta-treco.


  Abaixo anúncio da Kamei de outubro de 1962. Vê-se um defletor de ar para o fusca ragtop (com teto solar de lona), a tampa do chiqueirinho e o porta trecos embaixo do painel.


Outro acessório bastante popular era a capa do pedal de acelerador. Proporcionava maior conforto e encaixe para o pé do motorista. Além disso evitava o desgaste prematuro do tapete/carpete do fusca.


Outro acessório bastante útil feito pela Kamei era o defletor de ar instalado no canto do painel do fusca. Tinha a função de direcionar o ar quente para o centro do pára-brisa evitando o embaçamento do vidro. Era feito de acrílico.


A Kamei também produzia um organizador do porta luvas do fusca. Otimizava o uso do porta-luvas organizando os objetos.


Outro organizador de objetos, porém para o porta-malas do super beetle.



Acessório bastante comercializado pela Kamei, principalmente nos anos 70, foi o console instalado sobre o túnel central do fusca.



O console possuia o nome da empresa.


Abaixo, console instalado embaixo do painel para a colocação de relógios adicionais.


Trata-se de um acessório bastante raro.


Mais um tipo de console, próprio para colocação de rádio e alto-falante.


Abaixo anúncio da empresa americana Poly Pad Imports, de maio de 1968, onde se observa diversos produtos feitos pela Kamei para o fusca, de consoles a porta trecos, manoplas a encostos de cabeça.


A Kamei produziu também um kit para engate rápido das marchas do fusca.


Outro acessório muito comum na Europa e EUA, por conta do gosto pelos esportes de inverno, foi o rack para transportar esqui (ski rack). A Kamei também produziu esse útil apetrecho.


Proteção da maçaneta. Era muito utilizado na Europa para quem não tinha garagem e tinha que deixar o carro no tempo. No inverno a neve congelava o buraco da fechadura. O protetor evitava esse dissabor.

 

Porém, de tudo o que a Kamei produziu, o mais raro dos acessórios é um spoiler desenvolvido no início dos anos 50, feito totalmente de alumínio que tinha a função de tornar o fusca mais aerodinâmico, reduzindo o atrito com o ar. Meier chamou-o de AEROFIX.



O formato do spoiler foi, no entanto, desenvolvido por um engenheiro aeronáutico.


Como Meier não tinha condições de produzir o spoiler sozinho, ele decidiu fabricá-lo em parceria com Phillip Roth em Stuttgard, mais tarde conhecida como a empresa Perohaus. Abaixo, anúncio de 1952 comprovando a parceria Kamei/Perohaus.


Segundo o filho de Meier, Andrae Meier, foram produzidos aproximadamente 40 spoilers entre 1952 e 1953. Tendo em vista a pouca procura, a produção foi logo interrompida, o que o torna o spoiler Aerofis da Kamei um dos acessórios do fusca mais raros do mundo.



No Museu da VW na Alemanha é possível se deparar com um fusca com o spoiler instalado. Na foto abaixo, observa-se, além do spoiler, as capas de banco feitos pela Kamei, incluindo o encosto de cabeça.


Esse fusca, além dos acessórios feitos pela Kamei, possui kit dupla carburação da Okrasa!. A foto abaixo, de 1989, é um teste histórico entre um Porsche e um Fusca Okrasa. Quem venceu? Bom, isso é um capítulo a parte que em breve será relatado. Aguardem.


             O outro fusca conhecido com o Aerofix instalado é do colecionador alemão Carsten Reeder.


Abaixo, outra foto do fusca de Reeder com o spoiler e tantos outros acessórios embarcados (Revista Oldtimer Praxis, de março de 2000)



Enfim, de tudo que a Kamei produziu, o spoiler - que muitos dirão ser feio - tornou-se, no mundo do acessórios de fusca, um item extremamente cobiçado e muito difícil de ser encontrado.

3 comentários:

  1. O sobrenome do dono da Kamei era Meier...

    ResponderExcluir
  2. Aliás, não tinha só esse spoiler dianteiro para Fuscas da década de 50, para os da década de 70 também tinha, aliás, esse é um dos acessórios para Fusca que eu curto.

    ResponderExcluir