Fusca

Fusca

domingo, 5 de junho de 2011

ACENDEDOR DE CIGARROS

A concepção de que cigarro faz mal à saúde é mais ou menos recente. Até o final dos anos 70 e início dos anos 80 não havia políticas públicas efetivas de combate ao uso do tabaco. Até então, a população em geral não tinha a exata noção dos graves malefícios associados ao uso contínuo do cigarro.


As propagandas da época associavam o uso do cigarro à prática de esportes, conquista de mulheres, sucesso profissional, enfim, situações totalmente incompatíveis com o efeito nocivo do produto.
Acima, antiga propaganda da gigante Souza Cruz, Brasil.



Nos anos 50 e 60, artistas de renome não tinham qualquer receio de serem "politicamente incorretos". Ao contrário, naquela época, fumar era sinônimo de status social. Ronald Reagan era um dos diversos garotos propaganda da poderosa indústria do tabaco.


Frank Sinatra também cedeu ao falso encanto do cigarro!

 

Quem não se lembra do clássico Casablanca (1942) onde boa parte da atuação de Humphrey Bogart foi construída dentre a fumaça de suas indefectíveis baforadas.


E Marilyn Monroe?


E James Dean?


Os alemães foram os precursores do lançamento de campanhas públicas anti-tabagismo. A tradução do pôster acima é mais ou menos o seguinte: “Ataque os vícios em vez de reclamar de seus fardos. O uso excessivo de tabaco custa ao povo alemão 2,35 bilhões de marcos anualmente, suficiente para fabricar dois milhões de Fuscas, ou gasolina suficiente para dirigir 50 bilhões de quilômetros (não milhões, prestem atenção)! precisamos racionar a economia do nosso povo!”.


Naquele tempo, as pessoas fumavam sem remorso. Na rua, no clube, no trabalho, em casa, dentro de seus carros. Pensando no potencial do público fumante, diversas indústrias desenvolveram acessórios para facilitar o ato de fumar dentro do veículo, quer por parte do motorista quer por parte dos passageiros. Surgiu o acendedor de cigarros!


Os primeiros modelos remetem a era dos fuscas split. Foram feitos pela AUTOFUM, empresa alemã. Era necessário instalar uma tomada de força, de modo a permitir seu funcionamento, utilizando-se da corrente elétrica do veículo. As primeiras tomadas de força (anos 50) possuiam a entrada mais fina que as feitas nas últimas décadas. Assim, esses acendedores não se encaixam nas atuais entradas de acendedores de cigarros.


Esse modelo de acendedor (AUTOFUM) chegou a figurar nos catálogos de acessórios oficiais da VW.



Uma variação do modelo feito pela AUTOFUM.


Era mais comum ser instalado embaixo do painel do fusca.

 

Outra opção era instalar o acendedor de cigarro no painel de baquelite do fusca split (localizado ao lado do painel do velocímetro). No painel acima, vê-se uma tríade de acessórios que era oferecida na época: relógio de horas, cinzeiro e acendedor de cigarro.


Catálogo de acessórios da VW, de 1952, oferecendo o painel com o duplo cinzeiro, o acendedor e o relógio.



Se o fusca fosse standard, o acendedor é preto, para combinar com o volante e demais botões.


Havia acendedores de cigarro conjugados com um cinzeiro.


Acima, outro modelo de acendedor de cigarro e cinzeiro integrados em uma única peça. Parece uma máquina fotográfica!


Em meados dos anos 50, mudou-se o padrão da tomada de força, surgindo assim, o acendedor de cigarro como comumente conhecemos. Acima, acendedor também pela AUTOFUM.


Esse novo padrão surgiu ainda na era dos fuscas ovais. Acima, catálogo de época, de revendedor VW, onde percebe-se o acendedor instalado num fusca oval. Uma das opções disponíveis constituia-se de um apetrecho que conjugava acendedor de cigarros e luz de mapa.


Era mais comum ser instalado no painel frontal do fusca. Porém, não havia um padrão. Podia ser instalado onde o motorista desejasse.


Acima, o acendedor de cigarro foi instalado no painel, entre os botões originais do fusca.


Outro fabricante do acendedor de cigarro: a famosa HELLA.


O acendedor é ligado pressionando-o na tomada de força. Ao atingir a temperatura ideal, uma mola de retorno faz o botão saltar. Pronto, o cigarro pode ser aceso!


 Havia outros modelos de acendedores de cigarro. Acima, modelo feito pela SUCO, empresa alemã. Esse tipo de acendedor precisa ser instalado no painel do carro. Basta por o cigarro no apetrecho e ele já sai aceso!


Modelo semelhante ao feito pela SUCO. Marfim, para combinar com os botões do fusca. 


O acendedor instalado no painel de um fusca oval. Além do acendedor, notem o rádio, possivelmente um Telefunken. Observem, ainda, o volante, parecido com os usados pelos Porsche; verdadeiro sonho dos aficcionados por acessórios de época.


Outro modelo de acendedor, feito pela SMOKFIX, alemã. 6v. Precisa ser instalado no painel. Mais próprio para ser utilizado nos fuscais ovais, que possui maior espaço de painel.


Manual de instalação do Smokfix, inclusive com as medidas exatas para o corte do painel.

 

Modelo nacional de acendedor de cigarros, feito pela IMPA S.A Indústria Metalúrgica. O anúncio é de janeiro de 1967. Quer saber qual outro acessório a IMPA fez para o fusca? Acesse: http://opasgarage.blogspot.com/search/label/IMPA


Acendedor de cigarro feito pela Acendedores Cig-Lit Ltda. Anúncio de dezembro de 63. Curioso que a IMPA identifica seu modelo como sendo CIG-LIT. Muito provavelmente a IMPA adquiriu os direitos de fabrico desse acendedor ou comprou a própria empresa CIG LIT Ltda.


 Esse acendedor vinha em várias cores, para combinar com a cor da carroceria do carro. O cigarro é colocado na abertura do apetrecho e já sai aceso!


Visão lateral do acendedor. Observe o suporte para fixação embaixo do painel.


Acima, acendedor de cigarros da marca TRICO instalado em um Fusca 1969.


 Acendedor FUPLAST, nacional.


 Detalhe da embalagem do acendedor da FUPLAST.


 Era feito especialmente para o fusca e funcionava em 12v.


Nome da empresa FUPLAST entalhado na peça.


 A famosa Cigarreira Automática JAQUELINE. Jaqueline para os íntimos. Era feita por diversas empresas, entre elas a Comércio e Indústria Aglo Ltda. e Fábrica de Acessórios Serman Ltda. 


A JAQUELINE funcionava como porta cigarro e acendedor automático. Fica instalado embaixo do painel do fusca. Possuia um trilho que fazia movimentar a caixa da cigarreira, para frente e para trás. Tinha capacidade para armazenar uma carteira de cigarro.


Acima, folder de instalação da cigarreira JAQUELINE.


Anúncio da JAQUELINE de março de 1970.


 Acendedor automático, americano, marca Drawmatic.


Observe a fiação da Drawmatic ainda com revestimento de tecido.


Prospecto de instalação do acendedor Drawmatic. Coloca-se o cigarro na abertura; aperta-se o botão; o cigarro acende e, automaticamente, o botão retorna à posição original.


 Acima, pequena amostra de acendedores de cigarros, nacionais e alemães. 

7 comentários:

  1. Showwww de bola a matéria. Mais 1 acessorio para os VWs. Na verdade hj em dia chega ser uma necessidade para as pessoas q viajam com seus Fuscas, conectar o carregador de celular, transmissor de FM e demais acessorios q fazem parte do nosso dia a dia, unica coisa é q da pena de furar o painel para colocar esse acessorio.

    Abraço Chrys

    ResponderExcluir
  2. acessório "bacana",entre aspas,cá entre nós,cigarro não presta....ainda mais dentro de um veiculo...

    ResponderExcluir
  3. Mein Liebe Opa,
    Muito completo e interessante seu blog. Recordar é viver e jovem também tem saudade. Eu estou chegando aos 40 e me lembro do fusquinha do meu pai. Muita saudade daquela época.
    Valeu,
    André Carvalho

    ResponderExcluir
  4. meu fusca 67 tem um buraco no painel q eu nunca soube explicar porque ele existia... agora sei...

    ResponderExcluir
  5. Passei anos guardando aquela peça. Era bonita, bem feita e pelo seu próprio desenho, exótica. Sabia tratar-se de um sistema destinado para acender cigarros em um automóvel, nada mais. Não sabia a procedência, época da fabricação, a que veículo pertencia, fabricante...falava sobre ela com diversos entendidos e ninguém tinha ouvido nada parecido. Pesquisas na internet foram em vão. Ao mostrá-la, todos diziam: incrível, fantástico, é linda...e por ai vai, mas eu nada podia acrescentar. Pois não é que a OPASGARAGE cuidou de esclarecer! Obrigado por registrar a história da CIGARREIRA JAQUELINE! rogerlopesadv@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Olá amigo. Parabéns pelo blog, muito legal, Eu tenho um blog de fotos de carros antigos e/ou curiosos: http://henry-mymobileblog.blogspot.com/ . Vou incluir o seu na lista de links. Também tenho uma cigarreira dessas e se você me permitir gostaria de divulgar aqui. O anúncio é este: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-483518143-jaqueline-cigarreira-com-acendedor-automatico-anos-60-_JM mas quem se interessar pode entrar em contato pelom e-mail henry.chinaglia@gmail.com. Grato e um abraço, Henry.

    ResponderExcluir
  7. tenho uma cigarreira automática Jaqueline

    ResponderExcluir