Fusca

Fusca

quarta-feira, 8 de junho de 2011

CHAPÉU DE BRUXA

O fusca sempre esteve em constante evolução. Foram mais de 2.500 modificações ao longo dos anos. A maioria imperceptível ao público em geral. Afinal, o design do veículo manteve-se praticamente intacto ao longo dos anos. Dentre as mudanças invisíveis, destaco, neste tópico, o chapéu de bruxa e a mamiquinha, que tinham a finalidade de dar acabamento aos grampos dos frisos externos do fusca, protegendo a carroceira da entrada de água e poeira.

O chapéu de bruxa, literalmente.

O chapéu de bruxa, peça do fusca.

Até 1960, a guarnição utilizada pela Volkswagen para a proteção dos grampos dos frisos tinha o formato semelhante a um chapéu de bruxa, daí a origem do seu nome (para conhecer outros nomes pitorescos atribuídos  a partes, peças e acessórios de fusca, acesse http://opasgarage.blogspot.com/search/label/PQP). Portanto, todos os fuscas splits, ovais e os primeiros fuscas com o vidro traseiro quadrado utilizavam esse tipo de guarnição.

 Vista do chapéu de bruxa do friso do capuz dianteiro.

  Detalhe do chapéu de bruxa do friso lateral.


 
Acima, diferenças entre o nariz de bruxa (1950-1960) e a mamiquinha, maminha, ou chupetinha (1961 em diante). Além do formato, essas borrachas se diferenciavam também pelo modo de instalação. Enquanto a guarnição dos fuscas alemães era instalada a partir da parte interna da carroceria e colada à carroceria, a mamiquinha era instalada pela parte externa e perspassava o buraco do friso, encaixando-se entre a carroceria e o grampo, sem necessidade de cola.. É por causa dessas diferenças que os fuscas até 1960 possuiam dois furos grandes na parte interna da carroceria (lateral traseira), justamente para permitir acesso ao buraco externo do grampo do friso lateral. Veja exemplos abaixo.

Os dois buracos grandes na lateral traseira interna da carroceria dos fuscas até 1960 tinham a finalidade exclusiva de permitir a colocação, nos dois últimos buracos do friso lateral, do chapéu de bruxa (foto de um fusca 1960).

A partir de 1961, os buracos na parte interna da carroceira foram suprimidos, tendo em vista a mudança na forma de colocação da guarnição dos grampos dos frisos (foto de um fusca 1961). Os buracos não eram mais necessários, pois, a guarnição passou a ser instalada pela parte externa.

Outro detalhe importante: os fuscas ovais possuiam dois tipos de nariz de bruxa: um maior (usado para o acabamento dos grampos dos frisos externos) e outro menor, utilizado no acabamento interno da grade do alto falante. Veja acima a diferença de tamanho entre ambos. A peça da esquerda (maior) é para a carroceria, incluindo o capuz dianteiro; a da direita (menor) é instalada atrás do painel do fusca oval.

Acima, o chapéu de bruxa da grade do painel do fusca oval instalado. São necessárias 6 (seis) borrachinhas para a grade. Como dito, essa guarnição é menor que a utilizada nos frisos externos. Trata-se de um pequeno grande detalhe que demostra o grau de originalidade do fusca. Se for restaurar seu fusca alemão fique atento a esse pormenor.

Fonte: foto da bruxa: http://mnbabados.blogspot.com/; google; arquivo pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário