Fusca

Fusca

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

GLUP! PLOC! POP! ... BOLHA!

Há mais em comum entre a bolha e o Fusca do que podemos imaginar. E não se trata de nenhuma bolha especulativa - no mercado imobiliário ou na bolsa de valores - mas, sim, de algo mais aprazível, tal como ser proprietário do cativante besouro.

Em alguns países europeus, o Fusca é carinhosamente chamado de bolha, devido, por certo, a seu formato. É assim na Suécia (Bubbla), na Noruega (Boble), na Finlândia (Kuplavolkkari ou kupla)  e na Dinamarca (Boblen).

No final de 1953 a Volkswagen agregou à sua identidade visual uma pequena figura em forma de gente,  normalmente associada ao serviço autorizado de suas concessionárias. A cabeça possuia o exato formato do logotipo da Volkswagen e um pequeno chapéu, que ainda era moda nos anos 50 e, afinal, não podia faltar em nenhum cidadão de respeito. Nos Estados Unidos, foi apelidado de Mr. Bubble Head, ou, numa tradução literal, Sr. Cabeça de Bolha, em homenagem à sua cabeça arredondada.

Aqui no Brasil, a Volkswagen também adotou o pequeno personagem, que desfilava nas placas das concessionárias, manuais de proprietário e no material publicitário em geral, tais como chaveiros, capas de manual, adesivos e folders. Nas terras tupiniquins o personagem ficou conhecido como o bonequinho da VW e acompanhou a trajetória da empresa até o início dos anos 70.

Anos antes, porém, surgiu um acessório curioso chamado "vidro-bolha", que substituía as janelas laterais traseiras do Fusca. Era abaulada para fora do veículo, com 8 centímetros no ponto máximo. Foto acima de setembro de 1970.

 Segundo os anúncios de época, os vidros-bolha podiam ser instalados em poucos minutos. Eram feitos em plexiglas, material muito resistente e usado nas janelas de aviões e carros de competição, pesando menos da metade do vidro original. O vidro-bolha foi patenteado por Antônio Carlos Mineiro Galotti e René Heiman, tendo sido fabricado pela empresa Aldomar Rugero.

Além do efeito visual fora do comum, a diminuição do peso pela substituição dos vidros originais por outros, feito em material mais leve, podia significar melhor performance caso o Fusca fosse utilizado em alguma competição, corrida, etc. Todavia, a maior parte das pessoas colocavam o vidro-bolha mais por questões de estética, dando ao veículo um apelo mais esportivo e diferenciado.

Além dos carros de competição, os inventores do vidro-bolha certamente se inspiraram numa moda bastante comum na época: a substituição dos vidros originais do velocímetro e do marcador de combustível do Fusca pelo pequeno aparato em forma de bolha, feito de acrílico. Acima, foto extraída do excepcional blog: http://www.fuscaclassic.blogspot.com/ onde os vidros-bolha encontram-se instalados no velocímetro e no marcador de combustível. 

O acessório tinha função estética, apenas. 

Na verdade, o formato e a menor transparência dificultava, de certa forma, a leitura do velocímetro ou do marcador de combustível.

 Velocímetro com vidro bolha instalado numa Kombi.

Detalhe do velocímetro bojudo.

 Atualmente existem reproduções tanto da bolha do velocímetro ...

... quanto da bolha do marcador de combustível.

Outro acessório bem raro em forma de bolha era usado nos faróis olhos de boi.

A bolha de farol  substituía a lente de vidro original, sendo usada apenas para os Fuscas com faróis do tipo sealed beam (selados). Tinha função puramente estética.
  
Saltando dos acessórios para a memorabilia, os carrinhos de plástico bolha eram bastante populares nos anos 60 e 70. Possuíam preços acessíveis, porém, pecavam na falta de detalhes e no acabamento. Hoje em dia, porém, são objeto de desejo por parte de muitos colecionadores de brinquedos antigos.

Obviamente que o Fusca, dada sua popularidade, foi o veículo nacional que mais inspirou a fabricação de carrinhos feitos em plástico bolha.

Naquela época, se você fosse passear de Fusca com seus filhos, eles pediriam para comprar chicletes da marca Ping Pong ou Ploc (lembra disso?) e .... olha a bolha aí novamente!

Se você fosse ao mecânico para sangrar o freio do Fusca, inevitavelmente apareceriam aquelas bolhas de ar presas no circuito, nos encanamentos e nas bombas de pressão (burrinhos) das rodas.

 Por fim,  não posso deixar de falar do plástico bolha utilizado para embalar aqueles pequenos tesouros que guardamos para o Fusca, como aquela peça de reposição ainda original ...

... ou o tão sonhado acessório de época. 

 Graças a suas pequenas bolhas de ar, famosas por seu barulho "pop" que fazem ao explodir, é hábito de alguns proprietários de Fusca ficar estourando a bolha, como um recurso para ficarem mais calmos e relaxados quando o restaurador não termina nunca aquele serviço no besouro, ou, se terminou, aparece, tempos depois, aquela "bolha" na pintura !

8 comentários:

  1. Olá Opa.
    Muito legal as matérias de seu blog, e meu muito obrigado pelo elogio ao meu blog: Fuscaclassic.
    Dario Faria

    ResponderExcluir
  2. muito bacana a matéria opas... é possivel ainda "achar" esses vidros bolhas?

    abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi Dario, obrigado, é sempre uma honra tê-lo por aqui. Ôpa

    ResponderExcluir
  4. Oi Buffalo, esses vidros bolha laterais tem reprodução, eu via uma época no ML. dê uma olhada por lá. abraços. ôpa

    ResponderExcluir
  5. Não me recordo com quem aprendi ou em que situação "inventei" isso, mas há um bom tempo chamo as calotas dos mais antigos de "calotas bolha" e aparentemente todos entendem à que me refiro heheheh Até achei que era alguma nomenclatura bastante popular, mas buscas na net não retornam em muitos resultados.


    Parabéns pelo blog, excelentes postagens, boa escrita e conteúdo muito interessante; obrigado por compartilhar essas informações!


    Temos um blog também, caso queira adicionar na lista de blogs:

    http://vwlandia.blogspot.com


    Caso permita, posso também adicionar o OPASGARAGE aos "Blogs Parceiros". Agradeço a atenção!

    ResponderExcluir
  6. olá, essas calotas são mais conhecidas como "bacia". pode adicionar meu blog, sem problemas. abraços. ôpa

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho uma destas bolhas do velocimetro. Ela é de época e é fume. Quase não se encherga o velocimetro. Era assim mesmo?

    Remi R.
    Joaçaba - SC

    ResponderExcluir
  8. O Fusca com vidro bolha visto de traseira parece que está com caxumba.

    ResponderExcluir