Fusca

Fusca

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

VELOCÍMETRO

Vamos falar um pouco sobre originalidade do velocímetro do Fusca neste tópico. Acima, o velocímetro do Fusca até 1949, feito pela VDO, com um grande logo VW no topo.

Velocímetro de 1950 até o início de outubro de 1952.

O velocímetro do Fusca na década de 50 sofreu duas alterações básicas, além de outras de menor impacto visual, porém, importantes para quem está buscando a originalidade de seu besouro. O velocímetro do Fusca alemão de 1950 até o início de outubro de 1952 (brezel), tinha o fundo marrom, numeração na cor branca, ponteiro na cor branca, velocidade máxima de 120 km/h.

O velocímetro do Fusca 1950 até set/1952 ficava instalado numa moldura de baquelite, junto com os botões do farol, de acionamento da bananinha e ignição. Os risquinhos em vermelho tinham a função de indicar ao motorista o momento ideal da troca das marchas.

 Com o lançamento do modelo zwitter (outubro de 1952), o velocímetro passou a ter fundo escuro em volta de um círculo prata. O grafismo passou a ser esverdeado e o ponteiro passou a ser de acrílico transparente. Continuou marcando a velocidade máxima de 120 km/h.

O grande diferencial do velocímetro do modelo zwitter eram as flechas indicadoras de direção separadas uma da outra e bem pequenas. Veja detalhe na foto acima. Apenas o zwitter (out-1952 a mar-1953) usou o velocímetro com esse detalhe nas flechas indicadoras de direção.

Já o velocímetro do Fusca oval fabricado entre março a agosto de 1953, as flechas indicadoras foram unidas, tornando-se um só conjunto.

A partir de setembro de 1953, contudo, o velocímetro do Fusca teve a largura da flecha indicadora aumentada. Para melhor visualização das diferenças entre o velocímetro de mar-ago/1953 e o velocímetro de set/1953 em diante, olhe com atenção para a palavra "KM" nas duas imagens imediatamente acima. Percebeu? Como a flecha ficou mais larga  em setembro de 1953, o "KM" acabou ficando na parte de fora das listras que circundam o velocímetro. É uma diferença sutil, porém, existe.

O velocímetro com ponteiro de acrílico perdurou até 1962. A única diferença entre o velocímetro do Fusca oval daquele fabricado a partir de agosto de 1957 (vigia quadrado) está no aro do velocímetro. O aro do velocímetro do Fusca com janela quadrada não serve no painel do Fusca oval e vice-versa. Se o Fusca fosse standard o velocímetro não tinha o aro cromado, mas, sim, pintado. Aqui no Brasil, o velocímetro era fornecido à VW pela VDO ou pela HORASA, acrônimo de Empresa Brasileira de Relógios Hora S.A.

A partir de 1963, o velocímetro perdeu o ponteiro de acrílico e ganhou o ponteiro branco, mantendo, contudo, a velocidade máxima de 120 km/h.

Nos Fuscas modelo Pé-de-Boi, o velocímetro era o mesmo dos demais modelos, porém, era instalado sem o aro que o emoldurava.

Com o lançamento do Fusca com motor de 1300 cc em janeiro de 1967, o velocímetro passou a ter velocidade máxima de 140 km/h. O aumento da velocidade final no velocímetro está diretamente relacionado ao aumento da potência do motor, que passou de 36 hp para 46 hp. Esse velocímetro perdurou até meados de 1970.

A partir do modelo 71 (lançado em agosto de 1970), o velocímetro do Fusca perdeu os detalhes em verde. O grafismo passou a ser branco. A moldura ou aro do velocímetro também mudava em função do Fusca ser 1300 (pintado em tom cinza) ou 1500/1600 (cromado). 

Velocímetro do Bizorrão (Fusca 1600-S), lançado em 1974 e descontinuado em 1975, com velocidade máxima de 160 km/h, O velocímetro do Bizorrão era exclusivo, com fundo preto, grafismo branco e ponteiro vermelho, além de contar com a identificação, por pequenas figuras, das luzes-espia do farol alto, dínamo  e óleo do motor. 

Alguns poucos Fuscas produzidos em 1976 foram equipados com velocímetro com a identificação, através de pequenas imagens, das luzes-espia do farol alto, dínamo e óleo do motor. A introdução desses elementos de identificação para todos os veículos nacionais decorreu de exigência da Resolução Contran nº 463, de 1973, que fixou o prazo máximo de 31 de dezembro de 1976 para que as montadoras incorporassem essa medida. Esse velocímetro perdurou até setembro de 1976.

De outubro 1976 até setembro de 1977, o velocímetro passou a ter fundo preto, grafismo branco, ponteiro vermelho, velocidade máxima de 140 km/h e as seguintes luzes de controle: indicadores de direção, pressão do óleo, fachos do farol alto/baixo e dínamo. No 1300 a moldura do velocímetro era pintada em prata e no 1300-L, cromada. É o mesmo velocímetro utilizado pelo Fusca 1600, porém, neste a velocidade máxima é de 160 km/h e a moldura, cromada.

De outubro de 1977 até julho de 1981, o velocímetro passou a ter fundo preto, grafismo branco, ponteiro vermelho, velocidade máxima de 140 km/h e as seguintes luzes de controle: indicadores de direção, pressão do óleo, fachos do farol alto/baixo, dínamo e luz de emergência. No 1300 a moldura do velocímetro era em prata e no 1300-L, 1300-GL e Série Prata, cromada. É o mesmo velocímetro utilizado pelo Fusca 1600, porém, neste a velocidade máxima é de 160 km/h e a moldura, cromada.

A partir de agosto de 1981, o Fusca ganhou o conhecido painel quadrado, e o velocímetro mudou novamente. A velocidade máxima aumentou para 160 km/h e o ponteiro voltou a ser branco.

O velocímetro perdeu as indicações das luzes de controle, que passaram para o painel que emoldurava tanto o velocímetro, quanto o marcador de combustível e um terceiro compartimento, onde podia ser instalado um relógio ou amperímetro. Esse modelo de velocímetro perdurou de agosto de 1981-1986 (com moldura de painel preta) e, depois, entre 1993-1996 (com moldura de painel cinza).

O Fusca Série Ouro (últimas 1500 unidades produzidas em 1996) tinha o velocímetro com fundo branco e ponteiro laranja. A VDO ofereceu instrumentos com fundo vermelho para os Fuscas com painel  quadrado, porém, eram acessórios de época. Eram chamados painel cockpit e o velocímetro marcava 180 km/h. Falando em acessório, conheça o velocímetro com hodômetro parcial clicando aqui.

A parte de trás do velocímetro original possui o mês e ano de fabricação. Nos velocímetros mais antigos (anos 50, principalmente) a data era pinada no próprio metal do velocímetro. Essa data sempre foi uma referência para descobrir, aproximadamente, o mês e ano de fabricação do Fusca. A ausência da data no velocímetro indica que ele foi trocado, não sendo mais o original do veículo.

Acima, velocímetro datado de 1978 com tinta (carimbado). Percebe-se, também, o famoso lacre do velocímetro, que, se rompido, indicava, na época, possível alteração na quilometragem do Fusca.

7 comentários:

  1. Em 08/73 em virtude da nova legislação do Contran para 1974 em que os comandos do painel deveriam ter desenhos explicativos, o velocímetro passou a ter desenho acima das lâmpadas de óleo, do dínamo e do farol alto.
    Em 10/76 em virtude da nova legislação do Contran para 1977, o Fusca 1300 e 1300L ganharam o velocímetro 140km/h de fundo preto com números brancos e todos eles 1300,1300L e 1600 passaram a ter a luz-espia de anomalias no duplo circuito do freio. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. tenho um com painel quadrado, mas o ano não corresponde, como saber se é original?

    ResponderExcluir
  3. Muito legal a postagem, como todas aqui do blog. Gostaria de saber se os velocímetros VDO eram fabricados pela SIEMENS DO BRASIL. Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, a Siemens adquiriu a VDO somente no ano de 2000, originando o nome VDO Siemens. Atualmente, a VDO pertence ao grupo Continental.

      Excluir