Fusca

Fusca

domingo, 16 de outubro de 2011

BECK

Lembro até hoje a primeira vez que ouvi esse nome: Beck. Um senhor do interior de São Paulo havia falecido e seu genro, organizando sua garagem após o óbito, encontrou uma caixa com um marcador de combustível para o fusca. O nome do medidor: BECK. 

Beck. Beck de Wilhelm Beck und Co, oHG, empresa sediada em Stuttgart, Alemanha.

Uma peça que veio para o Brasil nos anos 50 para equipar o fusquinha, que, naquela época, não tinha marcador de combustível, e guardado pelo saudoso paulistano durante mais de 50 anos, em sua garagem.  

O marcador de combustível desenvolvido pela Beck especialmente para o besouro possuia o marcador com o grafismo idêntico ao velocímetro. Afinal, combinar era preciso. 

O marcador de combustível da Beck foi feito para o fusca a partir de outubro de 1952, ocasião em que foi lançado o Zwitter, já com o velocímetro localizado à frente do motorista. 

O sistema de medição desenvolvido pela Beck é dos mais interessantes. Lembra do barômetro? Aparelho que mede a pressão do ar para predizer o tempo? Pois é, o Beck possui um botão, instalado no painel do fusca, que mede a pressão do ar no interior do tanque de combustível. Pressionando o botão, o ponteiro do relógio vai até o final (cheio) e, após medir a pressão do ar no interior do tanque, retorna até o nível que aponta a quantidade de combustível. Nada de bóia. Pura tecnologia dos anos 50.

Se o tanque está cheio de gasolina, a pressão do ar é maior e o medidor lê que o tanque está cheio. Quando o tanque está com menos gasolina, a pressão é menor. Assim, o sistema, lendo a pressão de ar no interior do tanque, indica a quantidade de combustível que ainda resta. É um sistema muito preciso quando o marcador está em bom estado de conservação. Obviamente, o relógio é calibrado para cada tipo de tanque. Assim, um Beck calibrado para o fusca até 1955, não serve para os fuscas fabricados a partir do modelo 1956, em face da mudança ocorrida no tanque de combustível do fusca. Para saber mais sobre as diferenças no tamanho do tanque, acesse o link - http://opasgarage.blogspot.com/search/label/MARCADOR%20DE%20COMBUST%C3%8DVEL%20-%20R%C3%89GUA

 Anúncio da Beck de 1955. "Sempre bem orientado". Afinal, sem um marcador de combustível, você podia, de fato, ficar meio perdido.

Anúncio de setembro de 1955.

Anúncio de maio de 1956.

Anúncio de fevereiro de 1956.

Anúncio da Beck de setembro de 1957.

Anúncio da Beck de março de 1959. Mesmo com o novo painel introduzido no fusca em agosto de 1957, a Beck continuou fornecendo o acessório, só que, desta feita, o kit incluia a gradinha para alojamento do medidor.

O Beck instalado num fusca Zwitter, ladeado por um marcador de temperatura do óleo (outro acessório raro de época, feito pela alemã Stork). O botão na parte superior do painel é a ignição original do carro. O botão abaixo do Beck é do próprio marcador de combustível. Como dito, você pressiona o botão e o mantém apertado. Com esse procedimento o ponteiro do relógio vai até o final. É feita então a leitura da pressão do ar dentro do tanque. Você solta o botão, o ponteiro volta e pára. Pronto, agora você sabe a quantidade de gasolina ainda disponível. Esses passos precisam ser repetidos sempre que o motorista precisar saber quanto ainda possui de gasolina.

 O Beck instalado num fusca oval. Aqui em Curitiba existe um fusca 1956 com o marcador de combustível da Beck embarcado. É muito raro!

Panfletos que vem junto com o kit da Beck. Para instalar o marcador, é necessário furar o tanque para instalar o sistema de medição de pressão, além de dois furos no painel do oval: um do botão e outro para o relógio. 

A união perfeita: marcador de combustível da Beck e medidor de temperatura de óleo da Stork. 

Panfleto de instalação da Beck para o tanque do fusca até 1955. O marcador da Beck é um dos mais belos marcadores de combustível para o fusca. Se algum dia o leitor desse blog tiver oportunidade de cruzar com um desses, sentirá - não tenho dúvidas disso - forte emoção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário