Fusca

Fusca

domingo, 9 de outubro de 2011

LANTERNAS DIANTEIRAS

Muitos motoristas com mais idade têm, até hoje, o costume de usar os braços para auxiliar na sinalização da mudança de direção. São de uma época em que os piscas eram  deficientes ou sequer existiam (os primeiros fuscas pé-de-boi, por exemplo, não possuiam indicadores de direção). Até meados de 1961 o fusca usava a bananinha, sistema reconhecidamente pobre na proposta de indicar aos demais a mudança de direção do veículo. Sobre a bananinha, acesse o post:

O objetivo principal dos sinalizadores era evitar acidentes, uma vez que os demais motoristas poderiam antever uma mudança de direção do veículo.

Os piscas-piscas posicionados em cima dos pára-lamas do fusca estreou em agosto de 1957 exclusivamente para os fuscas destinados aos EUA. Os piscas sobre os pára-lamas estrearam no mercado europeu em agosto de 1960 e, aqui no Brasil, a partir da 2a. série de 1961.

Primeira geração dos piscas no Brasil. Conhecidos como piscas fininhos, utilizados de 1961 a 1964.

Segunda geração: piscas conhecidos como sorriso curto, utilizados de 1965 até 2a. série de 1970.

Terceira geração: piscas sorriso largo, utilizados a partir da 2a. série de 1970 até o final da produção do fusca no Brasil.

Os piscas fininhos eram posicionados, aproximadamente, a 4 dedos de distância do farol (veja foto acima).

Já os piscas sorriso curto e largo eram posicionados a um palmo do farol (veja foto acima). O pisca sorriso curto tem esse nome por conta da menor exposição lateral da lanterna. No sorriso largo, a lanterna fica mais exposta lateralmente, propiciando maior visibilidade aos demais motoristas quando o pisca está em funcionamento.

Todas as lanternas dianteiras do fusca são compostas de lente de acrílico, carcaça metálica, soquetes, lâmpadas, parafusos de fixação tipo philips e borracha de vedação. Somente o fusca standart não tinha a carcaça do pisca cromada, mas, sim, pintada na cor da carroceria.

As lentes possuiam logo VW, o part number e, eventualmente, o nome do fabricante.

Carcaça do pisca fininho com o logo VW (O "B" é de "Brasil").

Diversos foram os acessórios fabricados envolvendo os indicadores de direção. O mais simples envolvia a substituição da lente original por outra, de cor diferente (normalmente cristal) ou mesmo a troca da guarnição original em preto por outra, na cor branca.

A empresa alemã Hella disponibilizava o pisca com a borracha de vedação na cor branca.

Os fuscas destinados especificamente à Itália, eram obrigados a utilizar as lanternas com esse design, com a lente lateral âmbar à mostra e a frente em cristal. A carcaça era vasada na lateral. A lente possuia duas tonalidades.

Eram piscas feitos pela Hella e acabaram, também, sendo disponibilizados ao mercado paralelo de acessórios.

Outra lanterna da Hella. O diferencial dessa lanterna, além da lente transparente, é que ela é inteiriça ...

... ou seja, a lente e a carcaça são fundidas no mesmo material acrílico, porém, em tonalidades de cor diferentes.

Como a carçaça era feita de acrílico e integrada em peça única com a lente, exige-se cuidado ao apertar o parafuso para não trincar o material.

O logo Hella na lente da lanterna. A empresa brasileira POLIMATIC disponibilizava lentes cristal para os fuscas com sorriso curto e largo. Era acessório de época e não item original de fábrica. Porém, essas lentes cristal eram disponibilizadas nas concessionárias VW e, por ser um acessório original, tinham o logo VW.

Outro acessório, que envolvia a substituição integral das lanternas dianteiras do fusca, foi feito pela Hella e também pela Bosch. São lanternas mais compridas e davam um ótimo efeito visual ao fusca.

Essas lanternas também eram feitas de acrílico, inclusive a carcaça, igualmente integrada com a lente em uma peça única. De um lado a lente era âmbar, de outro, cristal.

A colocação desses piscas exige o uso de borrachas de vedação específicas, que eram vendidas junto com as lanternas.

Havia modelos com a lente toda transparente.

Catálogo de acessórios de época, oferecendo a lanterna comprida e fina para os fuscas.

Outro catálogo de época, da empresa GHE, alemã.

Aqui no Brasil esses piscas também foram oferecidos à época. Acima, as lanternas sendo vendidas no último encontro de Águas de Lindóia, de 2011.

Na guarnição da borracha dos piscas, aparece o nome do fabricante nacional: CRUZEIRO S.A.

Os piscas com a lente cristal instalados sobre o pára-lama do fusca.

Outro fusca com os piscas instalados (âmbar e cristal).

Mais um sedan com os piscas instalados.

 A Jokon alemã, disponibilizava o kit de piscas-piscas para serem instalados sobre os pára-lamas, em substituição às bananinhas, que eram retiradas e o local tampado.

 Kit da Jokon, incluia os piscas, relês, chave de liga e desliga e tampões das bananinhas.

Anúncio da Jokon, de outubro de 1962.

Em 1971, com o lançamento do Super Beetle, a Volkswagen alemã passou a utilizar os chamados piscões sobre os pára-lamas. Estamos falando de modificações ocorridas no exterior (EUA, Europa e, muitos anos depois, na produção do fusca no México). No Brasil, os fuscas aqui fabricados nunca sairam de fábrica com esses piscas vitaminados.

Certamente inspirando-se nessa modificação nos piscas ocorridas no exterior, a empresa brasileira NORFOL, uma das maiores fabricantes de acessórios de veículos na época,  desenvolveu, nos aos 70, um piscão para os nossos fuscas, utilizando a mesma guarnição original e o mesmo parafuso de fixação, tudo para facilitar a substituição e a fácil mudança do visual.

O piscão da NORFOL era todo feito em acrílico, inclusive a carcaça.

A lente, em sua parte interna, identifica o fabricante: NORFOL.

Na parte frontal da lente percebe-se o logo e o nome do fabricante: NORFOL.

Visão da parte de trás das lanternas da NORFOL, que já vinha com o acabamento em borracha circundando toda a lente.


Um fusca nacional com o piscão da NORFOL instalado (photo by Vitor Piva).

Detalhe do piscão da NORFOL instalado no fusca. É um item bastante raro (photo by Vitor Piva).

Além do material empregado na fabricação da carcaça, o piscão da NORFOL é diferente das lanternas alienígenas no que concerne aos parafusos de fixação. Enquanto as feitas pela Hella alemã posuiam dois parafusos, a lanterna da NORFOL possuia um único parafuso. Acima, pisca feito pela Hella.


Outra diferença: a carcaça da Hella permitia, em um dos lados, que a lente ficasse totalmente à mostra. No piscão da NORFOL, a lente fica à mostra nos dois lados. Assim, os piscas da Hella tinham lado direito e esquerdo; os piscões da NORFOL podiam ser usados em qualquer lado. Acima, pisca feito pela Hella.

Outro pisca-pisca bastante bonito, com design da lente diferenciado em relação ao original, foi feito pela Hella. O conjunto incluia chave de seta, relê, as lanternas dianteiras e a guarnição de borracha.

 A carcaça era igual à original, porém, a lente se projetava mais à frente.

 Veja acima, as diferenças entre o pisca original e o acessório oferecido pela Hella.

 A lente é bem maior. Visualmente chama a atenção pelo seu tamanho.

3 comentários:

  1. Eu nunca tinha visto esse pisca da Norfol imitando os Fuscas americanos, talvez na década de 70 ele não tenha feito sucesso.

    ResponderExcluir
  2. Amigo, faltou mencionar a lanterna da versão americana específica de 1968 e 1969 que possui um sorriso "ultra largo" (não confundir com o "piscão" e nem com o "sorriso largo") devido à lei americana específica desses dois anos que exigia que os "side-markers" (refletores/luzes de posição âmbar nas laterais dianteiras e vermelhas nas laterais traseiras) tivessem lâmpada E/OU olho-de-gato, em que no caso do Beetle 1968 e 1969 "US spec" a VW optou apenas pela lâmpada #1157, a conhecida P21/5W, mas ainda sem olho-de-gato lateral. Já no ano de 1970 essa lei americana foi atualizada para o esquema de "lâmpada E olho-de-gato" sempre simultaneamente em cada lateral dos veículo (na frente e atrás, âmbar e vermelho respectivamente). Assim sendo, a VW desenvolveu o "piscão", possuindo simultaneamente a lâmpada P21/5W mais olho-de-gato mais uma lampadazinha T4W para reforçar a iluminação do largo olho-de-gato. E vale lembrar que o piscão surgiu certamente no ano de 1970 para que o Beetle deste ano em diante circulasse pelos EUA dentro da lei! Espero ter colaborado! Seu site é excelente, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela colaboração. Fica o registro. Abraços.

      Excluir