Fusca

Fusca

terça-feira, 20 de novembro de 2012

PALÁCIO DA ALVORADA


Em 1960 Brasília, Capital do Brasil, foi inaugurada. Dois anos antes porém, em 1958, o Palácio da Alvorada, residência oficial do Presidente do Brasil, já estava pronto. O Brasil estava em polvorosa, e a construção de Brasília simbolizava o brio nacional da época. O Palácio da Alvorada tornou-se exemplo da arquitetura moderna brasileira. Até hoje, passados mais de 50 anos de sua inauguração, os traços de Niemeyer no Palácio da Alvorada continuam atuais. A principal característica do prédio são suas colunas de mármore branco que tornou-se símbolo indelével da modernidade brasileira.

O Distrito Federal, cuja capital é Brasília, adotou o formato das colunas do Palácio da Alvorada em seu brasão.

Anúncio de março de 1964. 

A indústria automobilística nacional, apesar de incipiente, estava a pleno vapor, graças aos incentivos dados no governo do então Presidente da República Juscelino Kubitscheck. A indústria de acessórios aproveitou o clima. Diversos produtos foram lançados tendo como símbolo as colunas do Palácio da Alvorada ("alvorada de um novo dia para o Brasil", no dizer do próprio Juscelino). Um desses acessórios foram as calotas com chave "Negrinha", feita pela paulistana Casa Negrinha Ltda.. Essas calotas possuíam uma chave para evitar furtos e desprendimentos involuntários da roda. Essas calotas somente podiam ser retiradas com uma chave especial, que acompanhava o produto.


Outro acessório bastante comum na época era os sobre-aros. Davam um toque de sofisticação ao fusquinha.

Observe acima o detalhe no sobre-aro das colunas do Palácio da Alvorada.

Sobre-aro instalado numa roda ventilada.

Detalhe das colunas do Alvorada no sobre-aro.

Observe, acima, uma embalagem original da paulistana Enfeite-Car Indústria e Comércio Ltda. As colunas do Palácio da Alvorada são destaque. "Tudo para o seu Volkswagen" era o slogan da empresa.

As famosas "dentaduras de baiano" também ganharam referência ao Palácio da Alvorada.

As polainas, que tinham por função proteger os pára-lamas dos pedriscos, igualmente homenagearam Brasília, por meio das colunas do Palácio da Alvorada.

Polaina com as colunas do Palácio da Alvorada.

Anúncio de setembro de 1963.

A Indústria Eletrônica Intertron Ltda., que fabricou rádios para o fusca, ganhou um "I" estilizado com inspiração nas colunas do Alvorada.

O próprio rádio - veja detalhe acima - tinha os botões lembrando o Palácio. Anúncio de 1964.

Acima, detalhe das colunas nas borrachas dos suportes de proteção de pára-choque. Outro acessório de época que homenageou a nova Capital.

Protetor da soleira da porta.

2 comentários:

  1. My God!

    Nunca um acessório me deu tanta água na boca como esse sobre-aro!XD

    Detalhes tão pequenos que a gente nem percebe mas que tem toda uma gigantesca história!^^

    Abrax^^

    ResponderExcluir
  2. A tal calota "Negrinha" hoje seria alvo dos chatos de plantão falando que é racismo e tal... hoje ela teria de se chamar "calota afrodescendente" :D :D :D :D

    Mas enfim... deixando de lado a questão política que envolveu a construção de Brasília no fim do mundo, mais ou menos 30 anos depois o Uno Mille também usaria as colunas do palácio da Alvorada em seu logotipo.

    ResponderExcluir