Fusca

Fusca

domingo, 10 de fevereiro de 2013

TERMÔMETRO

 No verão ...

 ... ou no inverno ...

 ... saber a quantas anda a temperatura é indispensável; quase uma curiosidade natural do ser humano. E nada melhor para verificar a temperatura dentro do carro, a qualquer hora do dia, de manhã, ao sair da garagem, ao meio-dia, no final do expediente, após o trabalho. Em Curitiba, com as abruscas mudanças no tempo que ocorrem no mesmo dia, é um acessório fundamental.

 Ao longo das décadas surgiram diversos modelos de termômetros para serem instalados no Fusca. Os mais comuns eram magnéticos que podiam ser fixados no próprio painel do besouro, pois possuíam um ímã na parte de trás.

 O local entre os botões superiores do painel era o local preferido, porém, podia ser colocado na gradinha de alto falante ou mesmo, para os fuscas mais antigos, no quatro superior do painel do pára-brisa, ao lado do espelho retrovisor interno.

O modelo acima é nacional, produzido pela ICAP, e possui o logo, as cores e a inscrição Volkswagen.

Termômetro ICAP, com sinais do tempo.

 Na Alemanha, que fez belos termômetros foi a MOTOMETER. O modelo acima, na cor marfim, podia ser colocado no painel do fusca oval e media tanto a temperatura no interior do fusca, quanto a temperatura externa ("aussen temperatur").

 Por meio de um cabo instalado na parte dianteira do veículo, o termômetro da MOTOMETER permitia mensurar a temperatura externa, opção bastante útil no frio inverno europeu.

 Outro modelo, do final dos anos 60, de termômetro feito pela MOTOMETER.

 Podia ser instalado no Porsche ou mesmo no Fusca.

 Anúncio de fevereiro de 1956 de termômetro da MOTOMETER.

 O modelo acima mostrava, também, a temperatura interna e externa. Era usado para substituir o relógio no Painel Rallye da MOTOMETER.

Outra opção era substituir a manopla original por outra com o termômetro.

Havia manoplas de várias cores, ao gosto do proprietário do Fusca.

 Termômetro feito pela alemã STÖRK, instalada na gradinha dos Fuscas fabricados a partir de agosto de 1957.

 Termômetro magnético feito pela alemã LUFT.

A LUFT fabricou também um espelho retrovisor interno com um termômetro, além do conta-giros. Para saber mais clique aqui.

Anúncio de julho de 1968.

 Nos anos 60, surgiu o TERMO-CLOCK, relógio e termômetro para o fusca, instalados na tampa do porta-luvas. Foi oferecida por MANOEL GREGÓRIO DE FREITAS, sito à Av. Armando Arruda Pereira, 2.578, no Jabaquara, São Paulo (SP).

 Outro modelo de termômetro interessante feito no Brasil é o GYSTER.

 O termômetro GYSTER tinha a base de acrílico e era instalado em substituição ao botão de buzina original (volante modelo cálice de 1959, 2a. série, a 1973, 1a. série).

 Possuía diversas cores para o gosto particular de cada motorista.

 Termômetro GYSTER instalado no volante de um fusca 1960.

 Termômetro GYSTER instalado num Sedan 1500, ano 1972.

 Outra possibilidade era adquirir o espelho retrovisor externo, do tipo pino de porta, com um termômetro embutido. Acessório alemão, modelo SPIEGEL THERM.

 Obviamente que o termômetro no retrovisor mensurava apenas a temperatura externa.

 Mais um acessório 2 em 1: Defletor de Capuz com Termômetro. Além de afastar insetos e pequenos chuviscos ou flocos de neve do pára-brisa, mantendo-o mais limpo, possuía um belo mostrador redondo que mostrava a temperatura ao motorista. Acessório francês.  

 Termômetro e marcador de quilometragem numa só peça. Possui um ímã na parte de trás para ser colocado no painel do veículo.

 Chave para ligar farol de milha ou qualquer outro acessório com um termômetro na base.

4 comentários:

  1. Esses termômetros brasileiros de painel realmente funcionavam??

    Pergunto pois, ao contrário do termômetro alemão, esses não tinham sensor externo.

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho um desses da ICAP com logo VW em preto. Será que vale alguma coisa? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. claro que vale. mande um email pra mim opasgarage@hotmail.com

      Excluir