Fusca

Fusca

segunda-feira, 26 de maio de 2014

LUZ DE NEBLINA


O tráfego rodoviário impõe uma série de inconvenientes aos motoristas, dentre os quais a neblina, em especial na região Sul e Sudeste do Brasil, principalmente nos meses de inverno, em regiões serranas e, muitas vezes, também em áreas de baixa altitude, mas dominadas por rios e lagos.


Para minimizar acidentes nessas condições adversas, deve-se, na presença de neblina, reduzir a velocidade, trafegar com as lanternas acesas, deixar os faróis em luz baixa e manter uma distância segura do veículo a frente. Além disso, equipar o veículo com faróis especialmente adequados para neblina melhora bastante a visibilidade ao volante. É possível instalar faróis de neblina na frente do veículo ou na parte de trás. Neste post enfocaremos, apenas, a luz traseira de sinalização especial para neblina. Essa lanterna traseira é extremamente eficiente pois permite que o carro seja visto, sob neblina intensa, sete vezes mais longe do que com as luzes traseiras convencionais, tanto que, em alguns países, é um item obrigatório de segurança.


A instalação da lanterna traseira de neblina é perfeitamente possível, não havendo qualquer óbice legal. Elas podem ser usadas tanto na cidade como na estrada, nas circunstâncias em que a visibilidade se reduz sensivelmente (neblina, chuva intensa, nuvens de pó ou de fumaça, túneis mal iluminados, etc.). A importância da lanterna traseira de neblina pode, em muitos casos, superar a dos próprios faróis de neblina, principalmente no que diz respeito as aspecto de segurança.



Para instalar uma lanterna de neblina no Fusca deve-se observar uma distância adequada em relação ao solo e instalar no painel (ou embaixo dele) um interruptor com luz, que se acende quando a lanterna estiver ligada. O lugar escolhido para instalação também deve estar protegido contra choques de estacionamento, além de facilitar o acesso para regulagens de rotina.


Desde os anos 50 os europeus e americanos instalavam a luz traseira de neblina em seus Fuscas. Essas lanternas foram fabricadas pela HELLA, HASSIA, BOSCH, JOKON, ARTEB/HELLA, LEÃO, dentre outras empresas. Sem dúvida nenhuma, a mais famosa luz de neblina foi feita pela alemã HELLA. Nos fuscas split e ovais, eram utilizadas lanternas de porte avantado, redondas, feitas pela HELLA e HASSIA. Eram feitas com lentes de vidro e carcaça de metal. Algumas delas possuíam um grade metálica de proteção.


A partir de 1970, com o lançamento do Fusca com pára-choques de lâmina única, a luz de neblina tornou-se mais discreta, normalmente em formato retangular. Podia ser instalada sobre o pára-choque ... 


... ou embaixo dele, a depender da preferência do proprietário. 


No catálogo da HELLA dos anos 70 (imagem acima) percebe-se a grande quantidade de modelos disponíveis. 


Os faroletes da HELLA sempre possuem o logo da empresa nas lentes. As mais antigas eram de vidro, depois, passaram a ser feitas de acrílico. A brasileira ARTEB/HELLA e a ROSSI também fabricaram essas lanternas traseiras para neblina. 


É um acessório bastante útil, além de embelezar o besouro. Atualmente é item quase que obrigatório para os seguidores do estilo german look.

3 comentários:

  1. Muito legal o post, apesar de não ter fusca eu adoro o carrinho, tenho um importado que veio de série com esse item que é maravilhoso em dias com pouco visibilidade, o meu carro a lanterna de neblina é ligada indiretamente ao farol alto que possibilita que o motorista não esqueça ligada, um item que ao meu ver é ótimo.

    ResponderExcluir
  2. Gostaria apenas de fazer uma correção que no meu carro a luz de neblina só liga quando os faróis estão acionados tanto baixo como alto.

    ResponderExcluir
  3. Aliás, não sei se tem a ver com o post, mas uma grande sacada que vi "nazinternets" por ai afora, foi um "Itamar" com a luz de neblina usada no Gol "bola" e combinou perfeitamente com o Fusca.

    ResponderExcluir