Fusca

Fusca

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

BARATINHAS, ALÇAS, GANCHOS E CABIDES

Baratinhas, alças, ganchos e cabides. Vamos falar um pouco sobre isso.

Até 1960, a alça traseira de segurança era fixada por meio de um  gancho e dois parafusos. Esse gancho ficou conhecido como cabide ou cabidinho e foi utilizado até 1960.

A alça propriamente dita é alcunhada de PQP, iniciais de "puta que o pariu". Para tornar mais palatável o palavrão, começou-se a utilizar o termo PQP. A origem do nome está associada à reação do passageiro a algum sobressalto ocorrido em razão de manobra brusca do motorista. E nada exprime com mais fidelidade essa situação do que "puta que o pariu!". Lembremos que a alça traseira do passageiro surgiu numa época em que o cinto de segurança não era um item obrigatório do carro. Enquanto o motorista tinha o volante como ponto de equilíbrio, o passageiro ficava literalmente "solto" no carro. A alça propiciava uma maior segurança ao passageiro. Até 1955, a alça traseira era feita em tecido; a partir de 1956, em material plástico; o cabidinho, contudo, continuou o mesmo.

O cabidinho era feito em zamac, uma liga composta de zinco, alumínio, magnésio e cobre, daí seu nome. O zamac é equivocadamente chamado de antimônio.

O cabide original possui o logo VW estampado na parte de trás.

A partir de 1960, chassi nº 11.990, a fixação da alça traseira foi reforçada e o cabidinho de zamac foi substituído por um suporte metálico coberto por uma capa plástica.

Essa capa ficou conhecida como baratinha (dada a semelhança com o inseto), gancho ou unha do PQP traseiro. 

Na parte de trás da baratinha, identifica-se o logo VW.

Não bastasse os ganchos originais do Fusca, era possível a colocação de cabides adicionais para acomodar bolsas, chapéus, paletós, etc.

Havia diversos modelos de cabides disponíveis no mercado. 

O distinto Senhor, quando fosse ao trabalho, podia pendurar seu paletó no cabide traseiro, preservando-o de qualquer amassado.

O cabide acima, além de dobrável, possui duas escovas nas extremidades. O anúncio é de dezembro de 1963.

O cabide acima era fixado por encaixe na longarina do teto, além de um parafuso na parte central.

Outros modelos permitiam a instalação de uma barra longitudinal entre dois suportes.

Assim, permitia-se a colocação de diversos cabides de roupas.

Modelo em acrílico que era fixado no vidro da porta do passageiro.

A vantagem desse cabide era que não havia necessidade de qualquer furo na carroceria para sua fixação. Além disso, o paletó ficava a mão do motorista.

 O vidro da janela precisava ser fechado para fixar o cabide com segurança.

8 comentários:

  1. Bá, agora matei a charada dos furinhos na lateral interna da minha Kombi 63. Valeu.

    ResponderExcluir
  2. Bá, agora matei a charada dos furinhos na lateral interna da minha Kombi 63. Valeu.

    ResponderExcluir
  3. Essa alça é conhecida como "Seca Suvaco" não "PQP". O PQP é aquele que fica logo acima do porta-luvas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Sergio, o apelido dado às partes e peças do Fusca varia de região pra região. Assim, a alça da coluna também é conhecida como PQP em algumas regiões do Brasil. Entre no site do Mercado Livre e digite "Fusca PQP": você encontrará tanto o balaústre do painel quanto a alça da coluna alcunhadas de PQP.

      Excluir
  4. Essa alça da coluna traseira do Fusca diziam que facilitava as coisas num eventual "tchu pléc tchu plin nu rai tchu flai" no banco traseiro. :D :D :D :D

    ResponderExcluir
  5. Opa, nessa matéria não é abordado até quando foi usado essa alça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. todos os Fuscas tiveram alça (1950-1996).

      Excluir
  6. Boa noite! Gostaria de pedir uma postagem com o detalhamento do formato e tipo de parafuso que deve prender o cabidinho de zamac no carro, especialmente para junho de 1957, já que nas imagens eles são diferentes (seriam anos distintos?)
    Muito obrigado!

    ResponderExcluir