Fusca

Fusca

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

CADEIRINHA


Cadeirinha: designação popular dada à parede do compartimento do estepe.
 
A chapa de reforço que forma a parede do compartimento do pneu sobressalente, dado seu formato peculiar, ficou conhecida popularmente como cadeirinha, frente alta, frente quadrada ou frente caixote.

Frente alta ou quadrada: nomes popularmente utilizados para designar o local.
 
A frente do tipo "cadeirinha", ladeada pelas aberturas para colocação da tampa de inspeção da caixa de direção, foi utilizada até o início de 1964.

Plaqueta de identificação do veículo.
 
 Há coisas importantes que acontecem na cadeirinha e que devem ser objeto de exame minucioso principalmente para quem está comprando um Fusca. É lá, por exemplo, que se localiza a plaqueta de identificação, que contém dados valiosos do besouro, como o número do chassi, ano de construção, modelo (tipo), se a carroceria foi feita pela VW alemã ou brasileira, peso máximo permitido, etc.


Número da carroceria e plaqueta "Made in Germany".
 
Além da plaqueta é possível visualizar o número da carroceria (na foto, por exemplo, o número da carroceria é 476.784). O número da carroceria é pinado pela fábrica entre duas pequenas barras paralelas. Se a cadeirinha não contiver esse número é porque a original foi trocada por outra. Nos Fuscas modelo exportação destinados aos EUA e Europa também havia uma plaquetinha de "Made in Germany" (até 1955) ou "Made in Western Germany" (1955-1959), localizada na parte inferior do número da carroceria.

1950-Set/52.

De 1950 a setembro de 1952, a cadeirinha possuía duas barras de reforço paralelas, localizadas no seu "encosto". Perceba que esses vincos paralelos vão, cada qual, quase até sua extremidade. Atente que no local não se vê o reservatório do fluido de freio, que, nessa época, ficava instalado sobre o próprio cilindro-mestre. Por causa disso, os dois vincos localizados no "assento" da cadeirinha possuíam características próprias: o vinco da frente era do mesmo tamanho dos vincos do "encosto" e, por sua vez, o vinco de trás era menor e ficava exatamente no meio dos 2 (dois) parafusos que prendem a carroceria ao chassi. Nos Fuscas split, fabricados até setembro de 1952, no local onde é fixado o chassi à carroceria, havia duas chapas soldadas no local, uma inferior, outra superior, perpassadas por um tubo de reforço (igual ao que fica no chapéu de napoleão para fixar o cilindro-mestre de freio).  A fixação da carroceria era feita, nesse época, com um parafuso e duas arruelas: uma simples e outra de pressão.
 
Out-52-1953.

A partir do lançamento do modelo Zwitter, ocorrido em outubro de 1952, a cadeirinha permaneceu praticamente a mesma. A única coisa que mudou foi o local de fixação do chassi à carroceria. Agora, há uma abertura no local e foi introduzida uma chapa de reforço móvel para atarrachar os parafusos.

1954-1956. 

A partir de dezembro de 1953, chassi nº 1-0575.415, o reservatório do fluido de freio foi deslocado de cima do cilindro-mestre para a cadeirinha (foto acima).

1954-1956: detalhe dos orifícios para fixação do reservatório do fluido de freio.
 
Para alojar o novo reservatório de freio, os vincos da base da cadeirinha foram encurtados no lado esquerdo (se o leitor olhar de frente para a foto acima, o encurtamento é do lado direito). Esse encurtamento se deu em razão da necessidade de instalação do novo reservatório. A abertura maior é o local onde passará o duto do óleo a partir do reservatório; os dois pequenos furos são para a fixação do próprio reservatório.

1957-1962. 
 
A partir de janeiro de 1957, chassi nº 1.398.207, várias modificações ocorreram na cadeirinha: 1) redução do tamanho das barras de reforço (ficaram mais curtas); 2) adição de uma nova barra de reforço, passando a numeração da carroceria situar-se entre essas barras; 3) por conseguinte, o "encosto" da cadeirinha ficou com 3 (três) barras de reforço; 4) mudança na abertura do duto do óleo de freio, que passou do formato circular para ligeiramente retangular, porém com as pontas curvadas; 5) nova abertura para encaixe do reservatório do fluido, que passou a ser fixado por encaixe na parte de trás e por um único parafuso na  frente (antes era fixado por dois parafusos: um na frente, outro atrás).

1957-1962. 

Observe, na foto acima, os 3 (três) vincos que passaram a equipar a cadeirinha do Fusca a partir de 57. Também o local da instalação do reservatório do fluido de freio foi modificado.

1962-1963.

No segundo semestre de 1962 ocorreu nova mudança na cadeirinha: a partir do chassi B-2 082.821, houve a introdução de um suporte metálico para alojar o novo reservatório de fluido de freio, agora feito em material plástico, em substituição ao recipiente metálico até então usado. Com isso, as aberturas que ficavam no "assento" para colocação do recipiente metálico foram suprimidas. Esse modelo de cadeirinha foi utilizado nos fuscas fabricados até o início de 1964, chassi nº B-4 142-238. Esse foi o último chassi que recebeu a famosa "cadeirinha".

Um comentário:

  1. Obrigado pelas informações esclarecedoras, tinha uma duvida sobre o reservatório de freio do 63.

    ResponderExcluir