Fusca

Fusca

quinta-feira, 25 de junho de 2015

A REALEZA E O FUSCA


O Fusca sempre foi um símbolo da democracia. Transitou entre as mais diversas classes sociais, dos pobres aos ricos, do remediado ao empresário bem sucedido, do presidente ao trabalhador. Todos, tenho certeza, o utilizaram com orgulho. 

O pequeno Sedan, por sua vez, nunca fez qualquer distinção quanto a quem dele desfrutasse. Miserável ou endinheirado, não importa; o Fusca sempre abriu suas portas para qualquer pessoa, independentemente de sua posição social. 

Todavia  - digo eu - é preciso ter dignidade para entrar em um Fusca. 
     
Dignidade que teve a família real japonesa, que, com nobreza de espírito, andavam de Fusca nos arredores de sua casa de veraneio em Nasu, Japão. Na foto acima, o casal imperial, Imperador Akihito e a Imperatriz Michiko, passeiam de Fusca com o príncipe Fumihito, que está na parte de trás do besouro.


Dignidade que faltou a Haile Selassie, Rei da Etiópia de 1930 a 1974.

Chamado de Rei dos Reis, Eleito de Deus e Leão de Judá, era proprietário de diversos carros de luxo, tais como Rolls Royce, Mercedes-Benz e Lincoln Continental.

Em 12.09.1974, seu tempo no poder se esgotou. Foi deposto por militares, e retirado a força do Palácio Imperial. Na saída, um Fusca o esperava.

"Vocês estão brincando?" disse surpreso Haile Selassie. "Eu tenho que entrar "nisso"?"

Um dos militares puxou o banco da frente e, finalmente, apesar da relutância de Selassi, entrou na traseira do Fusca e foi levado para o exílio, onde morreu no ano seguinte.


Um comentário:

  1. E os "rastas" veneram o Heile Selassie, para alguém que era adorado pela maioria ele tinha de ser mais humilde.

    ResponderExcluir