Fusca

Fusca

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

O FUSCA DE GRAVATA

Desde a minha concepção, fui cercado de pessoas engravatadas. Lá estavam meus pais - sim, tenho dois - cuidando para que eu tivesse um bom nascimento. Ambos, de gravata! 

 Durante minha gestação, papai Porsche, sempre atento, não tirava os olhos de mim. Obviamente, de gravata!

Ao nascer, que festança! Tantas pessoas ao meu lado! Todos, de gravata!

Não me esqueço das viagens que fiz com papai. Ele, sempre de gravata!

Ao virar Hebmüller, fui cercado de sisudos senhores.De gravata!

Quando órfão me tornei, o padrinho Nordhoff passou a cuidar mais de mim. Titio, de gravata!

Quantas festas eu fui! Convidados, de gravata!

 Vários donos eu tive. Muitos, de gravata!

Casamentos? Já perdi a conta! O noivo ... sempre de gravata!

Fazem até gravatas em minha homenagem.

Pra não voar a gravata ...

.... prendedor de gravata!

De todos os tipos.

De todos os ângulos.

De tanta gravata em minha vida, não resisti, eu quis uma também. Ei-la. Eu a uso todo orgulhoso, junto à alça do capô. Gravata brilhante, de aço inox, muito apropriada para um besouro vaidoso como eu. Além de embelezar-me, protege-me de arranhões causados por mãos menos delicadas.

Ainda bem que há vários modelos de gravata, assim eu posso escolher aquela que mais combina com meu traje. 

Minha marca favorita é a gravata da empresa JOKON, sediada na Alemanha, minha terra natal.

Anúncio da JOKON de julho de 1958.

Variação da gravata. Anúncio de março de 1959.

Gostei tanto, que resolvi usar outra gravata, só que na tampa do meu motor. Em cima do narizinho. Achei lindo, tem até um olho de gato!

Nenhum comentário:

Postar um comentário