Fusca

Fusca

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

DA COR DO PECADO!

Vermelho é a cor associada à paixão, energia, desejo, excitação. Pigalle, por sua vez, é um bairro localizado na cidade de Paris, França, cujo nome homenageia o escultor francês Jean-Baptiste Pigalle (1714-1785). Há mais de um século, Pigalle é conhecido como o bairro da boêmia, dos bares, das boates, dos sex-shop, dos espetáculos e das rubras luzes que iluminam sua noite. 

É em Pigalle que se encontra o Moulin Rouge, famoso cabaré parisiense construído em 1889, local onde se pode apreciar os teatros-revistas e jantares-espetáculos nos quais as bailarinas parisienses executam o famoso Cancan. 

Sex-shop em Pigalle.

O Museu do Erotismo também encontra-se localizado, apropriadamente, no bairro de Pigalle.

Desta associação entre o vermelho da paixão e sensualidade do bairro de Pigalle, nasceu o Vermelho Pigalle, nome da cor dos revestimentos dos bancos e das forrações laterais do Fusca, utilizado pela VW do Brasil entre 1967 e 1970. E, para ninguém duvidar da conotação sensual desse nome, a VW utilizou como código interno da cor o número 69 !

Fusca alemão 1966, com cor dos bancos Red Pigalle.

Em verdade, essa cor surgiu em agosto de 1965 para designar o revestimento interno dos Fuscas fabricados na Alemanha e constou no Catálogo de Cores da VW alemã entre 1965 e 1966. Na Alemanha, o Red Pigalle podia ser combinado com as cores de carroceira Preto (L41), Cinza Fontana (L595) e Branco Pérola (L87).

No Brasil, surgiu como novidade em janeiro de 1967, com o lançamento do Fusca com motor de 1300 cilindradas. É conhecida popularmente como Vermelho Turim. 

O Vermelho Pigalle era uma das três opções de cores internas disponíveis em 1967, junto com o preto e o cinza platin, limitado, todavia, às cores de carroceria Bege Nilo e Branco Pérola. Nos anos seguintes, o Vermelho Pigalle continuou disponível apenas em cores mais claras de carroceria, tais como o Bege Claro, Branco Lótus e Cinza Claro. O objetivo era exatamente permitir o contraste. O primeiro Fusca que adquiri foi justamente um Fusca 1967, Bege Nilo, com interior Vermelho Pigalle e que hoje muita saudade me traz. Como o padrão de cor dos revestimentos era o preto, poucos foram os modelos produzidos com o interior vermelho. Apesar de constar nos catálogos da Volkswagen do Brasil como utilizado até julho de 1970, pouquíssimos exemplares foram fabricados com essa tonalidade, tornando hoje bastante raro um Fusca com o interior com a cor do pecado!

4 comentários:

  1. Sempre tive dúvidas a respeito do interior Vermelho, em especial com relação aos anos e pra quais cores de carroceira tal acabamento era disponível. Especificamente para o ano de 1970, pra quais cores externas se podia optar por aludido acabamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, banco lotus e bege claro apenas.

      Excluir
  2. Azul Diamante em hipótese alguma? Hahaha
    Obrigado pela atenção. Abraço!

    ResponderExcluir