Fusca

Fusca

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

BRACINHO ARTICULÁVEL

Abastecendo o Fusca.

O antigo sistema de abertura do capô dianteiro do Fusca, na forma de um braço articulável, sempre foi motivo de preocupação para o proprietário do besouro, principalmente quando manejado pelo (nem sempre cuidadoso) frentista de posto de gasolina. 

Aviso aos incautos: tenham cuidado com meu capô!

O problema maior não era a abertura do capô, mas, sim, o seu fechamento. O desavisado frentista podia literalmente amassar o capô se tentasse fechá-lo sem primeiro desarticular manualmente o bracinho. É por isso que era comum, nos EUA, a colocação de avisos em letras garrafais no tanque de gasolina, alertando o usuário a primeiro desarticular o braço antes de fechar o capô. 

"Atenção! Encha o tanque somente até a base do gargalo. Desarticule o braço antes de fechar o capô"

Além desses problemas, do ponto de vista estético, o capô ficava levemente mais inclinado do lado direito. A despeito das diversas alterações que a VW promoveu nesse período visando aprimorar o sistema de abertura, o fato é que o bracinho articulável do Fusca nunca foi uma Brastemp. Apesar disso, durou mais de uma década, tendo sido utilizado no Brasil até 21 de janeiro de 1962. A partir de 22 de janeiro daquele ano o bracinho foi descontinuado. Em substituição, foi introduzido um suporte de apoio com mola, que acompanhou o Fusca até o final de sua produção no Brasil. Adiante, apresentamos uma breve evolução do bracinho, de 1950 a 1962. Quatro modelos diferentes equiparam o Fusca. Vejamos.

1950-1953 (até chassi 1-0495.967).


 Bracinho do Fusca split: praticamente reto.

Meados de 1953 a 1955 (do chassi 1-0496.968 até chassi 1-0929.745)

Até 55 o bracinho era maior, mais esguio, e deixava o capô em posição mais elevada. Repare que, nesse período, ele era fixado por meio de um terceiro parafuso localizado no suporte do capô, ao lado da dobradiça esquerda da capota. Enquanto o bracinho de 50-53 era praticamente reto, o modelo usado de 53 a 55 ganhou uma dobra em "L" nas extremidades, deixando-o melhor posicionado no interior do porta-malas.

1956 (a partir do chassi 1-0929.746) a 1959. 

A partir do modelo 1956 do Fusca (lançado em agosto de 1955), o bracinho passou a ser fixado, na parte superior, na própria dobradiça do capô. Perdeu a dobra em "L" e ficou levemente curvado.

Braço articulável em um Fusca 1957.

Meados de 1959 a 1962. Ficou menor no comprimento e mais longilíneo.

Amortecedor substituindo o bracinho em um Fusca 1959, lado direito.

Dada à fragilidade do braço articulável, era bastante comum na época ser substituído por um sistema de molas muito parecido com aquele que a VW veio a adotar posteriormente ou mesmo por pequenos amortecedores. Esse acessório era instalado nos dois lados, reequilibrando a força para abrir e fechar a capota. 

Amortecedor com molas substituindo o bracinho em um Fusca 1959, lado esquerdo.

Amortecedor com molas substituindo o bracinho em um Fusca 1960, lado esquerdo.

Amortecedor com molas substituindo o bracinho em um Fusca 1960, lado direito.

Amortecedor de pistão. Acessório de época que substituía o braço articulável.

Amortecedor substituindo o bracinho em Fusca 1959.

Anúncio de setembro de 1960.

Nos EUA havia uma variação do sistema de molas para substituir o bracinho articulável, conforme pode ser visto no anúncio acima, de setembro de 1960. Era fixado na base superior da dobradiça e, na extremidade oposta, mais próximo do tanque do combustível. 

4 comentários:

  1. Esse braço com molas era diferente do sistema dos Fuscas de 1962 em diante??

    ResponderExcluir
  2. Hoje podemos substituir esse sistema por molas a gás, que facilita a movimentação do capô, levantando de forma uniforme, eliminado as vibrações e ruídos desses dispositivos. Acesso o site www.rediza.com.br e veja o vídeo da aplicação e instalação das molas a gás. Grande abraço. Att, Jair.

    ResponderExcluir