Fusca

Fusca

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

CAPA DO BAGAGEIRO

Para uma família numerosa, os dois porta-malas do Fusca talvez não sejam suficientes para acomodar todas as malas necessárias para aquela tão esperada viagem de férias. Uma opção para otimizar o espaço do besouro era instalar um bagageiro em seu teto.

Alguns poucos modelos de bagageiros já foram projetados para salvaguardar os objetos transportados das intempéries.

Cita-se o bagageiro MENSANA (ou peruca do Fusca), acessório já abordado anteriormente neste blog, razoavelmente vedado à entrada de água e poeira. No entanto, a maioria dos bagageiros fabricados na época de ouro do Fusca eram totalmente abertos, sem qualquer capa de proteção.

 O uso de uma capa é importante para proteger as malas e outros objetos acomodados no porta bagagem. principalmente em viagens longas sujeitas às inevitáveis variações do tempo.

Anúncio de dezembro de 1962.

A maioria dos proprietários de Fusca improvisavam nessa hora; instalavam uma simples capa plástica ou, no melhor das hipóteses, uma lona. Uma das boas opções da época era o Encerado Locomotiva, feito pela ALPARGATAS, em material 100% impermeável, com ilhoses de metal inoxidável. Disponível nas cores verde, cáqui e branca.

 Todavia, alguns fabricantes já ofereciam uma capa apropriada com as medidas exatas para ser usada para cada tipo de bagageiro, o que deixava o local com uma aparência mais agradável. Obviamente, essas capas moldadas ao tamanho do bagageiro acabavam limitando o volume de objetos que poderiam ser transportados. 

Acima, uma capa de proteção feita pela alemã KAMEI.

Um comentário:

  1. Para ver como são as coisas... antes quem viajava com o Fusca com esse bagageiro no teto era de certa forma visto como "farofeiro" e me lembro que na década de 80, revistas especializadas diziam que esse acessório aumentava o consumo de gasolina no carro, hoje no entanto, o bagageiro de teto é presença garantida nos encontros de Fuscas.

    ResponderExcluir