Fusca

Fusca

quarta-feira, 9 de março de 2016

ZWITTER

Fusca Zwitter.

O Fusca Zwitter é um dos mais intrigantes modelos feitos pela Volkswagen. Zwitter, em alemão, tem o significado de hermafrodita, híbrido. E é exatamente o que ele é: um modelo de transição entre o Fusca split e oval, com curto período de tempo de produção, e guardando características dos dois modelos. As mais visíveis são a janela traseira bipartida do split e o novo painel, típico dos ovais. Trata-se de um modelo singular, com inúmeras características que lhe são próprias. Por isso, para quem está restaurando o modelo, muitas peças são muito difíceis de encontrar, tais como o tanque com bocal de 60 mm, o velocímetro com as setas duplas e a luz de cortesia (plafonier). Bom lembrar que Zwitter é uma denominação popular difundida no mundo inteiro entre os apreciadores do besouro; a VW nunca utilizou oficialmente essa expressão para referir-se ao veículo.

O modelo foi fabricado entre 1º de outubro de 1952 a 10 de março de 1953. Começou com o chassi nº -1-0397023, motor nº 1-481 713 e terminou com o chassi de nº -1-0454950, motor nº 1-551 113. Foram fabricados apenas 57.928 carros nesse período, sendo 831 conversíveis. 31,123 unidades em 1952 e 26.805 unidades em 1953.

Abaixo, tabela com o números de chassi, motor, câmbio, suspensão dianteira e carroceria de todos os Zwitter produzidos:

DATA
CHASSI
MOTOR
CÂMBIO
SUSPENSÃO
DIANTEIRA
CARROCERIA
01.10.1952
1-0397 023
1-0481 713



31.10.1952
1-0408 537
1-0494 569
A-8 324
461 735
421 868
348 672
30.11.1952
1-0418 301
1-0506 974
A-16 312
465 916
431 888
358 168
31.12.1952
1-0428 156
1-0519 136
A-24 736
469 555
442 001
367 730
01.01.1953
1-0428 157
1-0519 259



31.01.1953
1-0440 292
1-0533 991
A-35 618
473 255
454 251
379 360
28.02.1953
1-0451 312
1-0547 210
A-35 542
476 655
465 331
389 824
10.03.1953
1-0454 950
1-0551 113





Cores: clique aqui..

Manual de Instruções: clique aqui.

A seguir, elencamos as principais características do modelo, tendo por referência o modelo Sedan Luxo (Exportação). O Fusca Standard e o Conversível possuem particularidades próprias.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
(tomado o modelo Luxo como referência)

Continua com vigia traseiro bi-partido (split). Introdução de frisos sobre as borrachas do vigia traseiro. Para mais informações sobre a evolução dos vidros traseiros, clique aqui.

Introdução de frisos sobre as borrachas dos vidros laterais.

Introdução do quebra-vento. Com isso, o Fusca perdeu o gela saco e o vidro da porta ficou menor e sem o recorte superior. Para informações adicionais, clique aqui.

Nova grade de buzina, agora ovalada. Aberta do lado esquerdo e fechada do lado direito.

Os primeiros Zwitter fabricados tinham o emblema VW sólido, com o V e W separados.

Posteriormente, o emblema passou a ser vazado, porém, não se sabe precisar extamente quando ocorreu essa modificação. Para mais informações, clique aqui.

Novas lanternas traseiras, do tipo "coração". A luz de freio sai da luz de placa e vai para as duas lanternas traseiras. Para mais informações sobre as lanternas traseiras, clique aqui. Novo nariz de placa. Nova maçaneta de abertura do capô do motor, em substituição à anterior conhecida como rabo de tatu. Lâminas do pára-choque passam a ser lisas, com duas garras de proteção. Nessa época, ainda não havia pára-choques com poleiros. Informações adicionais sobre pára-choques, clique aqui.

Introdução de rodas com aro de 15" (4 J x 15). Antes eram rodas com aro de 16" (3.00 x 16). Para mais informações sobre medidas das rodas, clique aqui. Rodas fechadas, sem aberturas para ventilação. Calotas possuem o logo VW central pintado em preto.

Nova alça do capô dianteiro, feita em alumínio sólido. Não possui a cava interna como no modelo posterior.

Novo painel de instrumentos, totalmente redesenhado. Agora com apenas um porta-luvas (antes eram dois). Porta luvas com tampa e botão de pressão para sua abertura. Acionamento do afogador sai do túnel e passa pra o painel. Introdução de uma grade cromada do alto-falante. Novos botões de comando. Para mais informações sobre a evolução do painel, clique aqui.

Volante do tipo "asa de morcego", agora na cor cinza-bege.

O botão de buzina com a representação do castelo de Wolfsburg em dourado foi uma novidade no modelo Zwitter. 

Novo velocímetro, com setas indicadores de direção separadas. Característica típica do Zwitter. Para mais informações sobre velocímetros, clique aqui.

Chave da ignição reposicionada para o lado direito do afogador.

 Novo botão de ignição, feito em alumínio, agora instalado no lado esquerdo do velocímetro. 

Cinzeiro do painel não possui pegador nem qualquer friso metálico. Para mais informações acerca da evolução dos cinzeiros do painel, clique aqui.

Novo espelho retrovisor interno, com cantos mais arredondados. Pára-sol de acrílico apenas no lado do motorista. O pára-sol no lado do passageiro era um opcional da época.

Introdução de nova luz de teto instalada sobre a longarina de teto, no lado esquerdo do motorista. Até então, a luz de teto do Fusca era redonda e instalada sobre a coluna central do vidro traseiro. Com o Zwitter, a luz de teto ganhou novo formato e nova localização. Usava lâmpada de 5 watts. A luz de cortesia não possui  qualquer botão na lente plástica. O botão de acionamento da luz de cortesia fica localizado embaixo do painel.

Local de instalação do botão de acionamento da luz de cortesia. Esse botão também era utilizado para ligar a luz do velocímetro.


Detalhe da chave de acionamento da luz de teto localizada sob o painel. 



Nova alavanca de câmbio. Continuou reta, porém, diminuiu de tamanho (ficou levemente mais baixa) e mudou o formato do encaixe no varão. A manopla de câmbio continuou com diâmetro de 10 mm.

Diferenças nas extremidades da alavanca de câmbio. A "bola" a partir do modelo Zwitter ficou maior. Consequentemente, introduziu-se novo varão de câmbio.

Mudança no botão das maçanetas internas: roseta e maçaneta continuam vincadas, porém, o botão passa a ser liso. Manivela dá 3 voltas e meia para levantar o vidro da porta. Antes, eram necessárias 10 voltas e meia. Para mais informações sobre as maçanetas internas, clique aqui.

Nova roseta de abertura do ar quente localizada atrás da alavanca de câmbio. Muda também a forma de acionamento: antes a roseta era puxada e, agora, girada para abrir o ar quente.

Mangueiras do ar quente, dianteiras e traseiras, metálicas. Para saber mais, clique aqui.

Novo tanque de combustível, com bocal de 60 mm. A tampa é lisa, sem o característico logotipo da VW. Para mais informações sobre a evolução do tanque de combustível, clique aqui. Ao lado do tanque fica instalada a segunda caixa de fusíveis. Para mais informações sobre a evolução das caixas de fusíveis, clique aqui.

Maçanetas externas do tipo geladeira e lisas (as vincadas somente a partir do modelo 56). Lado do motorista com chave e lado do passageiro sem chave, com abertura apenas pela parte interna. Os frisos da carroceria, incluindo os frisos dos estribos, também mudaram: perderam o vinco e agora são lisos.

Faróis simétricos da marca Bosch ou Hella. Mais informações sobre os faróis dos Fuscas alemães, clique aqui.

 Emblema do castelo de Wolfsburg no capô dianteiro. Para mais informações sobre o brasão frontal, clique aqui.

Estribo com uma única chapa de reforço.

Capa do estribo com frisos mais largos e extremidade lisa.

Limpador de pára-brisa continua o mesmo, com a haste arredondada. A novidade é que agora voltam sozinhos para a posição de descanso.

Vidros da marca SEKURIT ou DURO-GLAS.

Painel lateral dianteiro com vincos característicos. Mais informações sobre esse painel, clique aqui.

O Zwitter utilizou dois tipos de bacalhau (suporte de fixação do pára-choque), a depender da época. Para mais informações sobre a evolução do bacalhau, clique aqui.

Forração do teto em casimira bege.

Túnel, caixas de ar, caixas de rodas, chiqueirinho e cangalha revestidos com forração em fibra natural.

Banco traseiro sem a travessa horizontal e sem os roda-pés. Bateria fica do lado direito. Houve mudança também na fixação da bateria com a introdução de uma cinta que abraça toda a bateria. Alteração também no cinzeiro lateral traseiro, agora retangular e com pegador (botão).

Os tampões da dobradiça da porta são de borracha e com a cabeça vincada. Observe também o detalhe do interruptor da luz de cortesia. 

Detalhe do novo limitador da porta, com haste arredondada e sem qualquer coifa de proteção. 

Assoalho do tipo "escadinha", com posição da bateria mais à frente e com suporte próprio para fixação da pedaleira. Para mais informações, clique aqui.

Suporte original para encaixe do macaco.

Assoalhos originais possuem presilhas para encaixe do tapete.

Os tapetes, em número de quatro, eram fixados nas presilhas dos assoalhos sob pressão (parecido com o sistema de fixação dos tapetes do VW SP2).

Assoalhos não possuem anti-ruído.

Introdução da chave de seta. Até então, a “bananinha” era acionada por um botão no painel.

Chiqueirinho com as travessas metálicas sobre a forração (para mais informações sobre esses trilhos, clique aqui). A partir do Zwitter o Fusca perde a tampa de inspeção localizada no chiqueirinho para facilitar o acesso à caixa de câmbio, motor de partida e cabos.

Banco traseiro possui 4 (quatro) travessas na parte de trás.

Acionamento de abertura do capô dianteiro, instalado próximo à coluna de direção.

Saía do ar quente sem aletas, com formato arredondado e próximo às pedaleiras (mais informações, clique aqui). Acelerador do tipo rodinho. Interruptor de luz alta/baixa por acionamento no pé.

Alça (PQP), fixada com ganchinho, feita com o mesmo material da forração dos bancos.

As portas continuam vincadas. com os batentes de borracha duplos, que evitam a trepidação excessiva da porta.  Novos bancos com a introdução de novos revestimentos.

Bancos dianteiros sem regulagem da posição do encosto. Assoalhos com os trilhos dos bancos retos (não inclinado). Informações adicionais, clique aqui.

Novos revestimentos das portas, com a adição de um friso metálico.

O compartimento do porta-luvas é feito de uma espécie de papelão na cor cinza azulado.

Trinco do capô.

Fechadura do capô com vinco na vertical. Galvanizado em preto com parafusos 10 mm e respectivas porcas em branco.

Berço do estepe com a característica abertura das linguetas de fixação do chicote feitas na própria lata do painel dianteiro. Para mais informações sobre o berço do estepe, clique aqui.

Cadeirinha com vincos característicos e sem o reservatório do fluido de freio. Para mais informações, clique aqui.

Plaqueta de identificação do veículo, com o tipo, número do chassi e ano de fabricação. Abaixo da plaqueta metálica, encontra-se o número da carroceria. A cabeça dos rebites que fixam a plaqueta é lisa, ou seja, não é oca como no característico rebite pop. 

O número do chassi da plaqueta deve ser igual ao número do chassi que fica no túnel, embaixo do banco traseiro, com um detalhe importante: há um rebaixo no túnel onde o número do chassi é pinado. É uma característica em todos os Fuscas fabricados entre março de 1952 a agosto de 1955. Para mais informações sobre os números do Fusca, clique aqui.

Saia dianteira do tipo 4 T.

Braço do capô com 3 (três) parafusos de fixação. O bracinho de sustentação do capô é fixado com um quarto parafuso, junto ao reforço lateral do capô. Para informações complementares sobre o bracinho do capô, clique aqui.

Bananinha vincada. 

Par de bananinhas originais retiradas de um modelo Zwitter. Para mais informações sobre a bananinha, clique aqui.

Saia H. A parte inferior do painel traseiro é totalmente lisa, sem o corte para saída da ponteira de escapamento. Mais informações aqui.

Escapamento possui apenas uma única ponteira para saída dos gases. Informações adicionais, clique aqui.

Caixa de câmbio do tipo amendoim (ou melancia). A 2ª, 3ª, e 4ª marchas passam a ser sincronizadas. A primeira marcha ainda é seca. O Fusca Standard, todavia,  continua a ser fabricado com as 4 (quatro) marchas secas. Para informações complementares sobre o câmbio amendoim, clique aqui.


Diagrama do sistema de freios. 

Reservatório do fluido de freio integrado com o cilindro-mestre. Cilindros de rodas traseiros tem 17,5 mm de diâmetro.

A alavanca do freio de mão é acionada por varão, com regulagem dos cabos no cabeçote da suspensão.

Alavanca do freio de mão. Ela é diferente das usadas a partir do modelo 56, sem os suportes laterais para passagem dos cabos de freio de mão. Além disso, possui formato próprio para encaixe da alavanca no varão.

Tampa avantajada do cabeçote da suspensão.

Motor de 1131 cm3, com 25 hp de potência. Compartimento do motor com anti-ruído.

Bomba de gasolina correta para o modelo Zwitter.

 Distribuidor Bosch com tampa baixa.

Regulador de voltagem do tipo "D". Mais informações, clique aqui.

Dínamo com porca grande, de 36 mm e com cinta metálica. Tubo para abastecimento de óleo sem tampa (inteiriço).

Filtro T utilizado até dezembro de 1952.

A partir de 2 janeiro de 1953, chassi 1-0428 221, novo filtro de ar, menor em tamanho e com porca borboleta para fixação da tampa.

Novo coletor de admissão correto para o modelo Zwitter, com pré-aquecimento. Esse coletor foi utilizado até dezembro de 1953 nos motores de 1.100 cm3. Tinha boca de encaixe no carburador de 28 mm e os tubos de pré-aquecimento com 28,5 mm de diâmetro.

Novo carburador 28 PCI em substituição ao 26 VFIS. Esse carburador é diferente dos demais carburadores 28 PCI porque não tem entrada do caninho de avanço do vácuo.

A capelinha passa a ser  inteiriça (antes a capelinha era em duas partes unidas no topo, que formava um vinco bem característico). Para saber mais sobre peças vincadas, clique aqui.

Novo quadro da suspensão dianteira, com barras de torção com 6 (seis) lâminas em substituição às cinco que eram até então usadas. Nova caixa de direção e amortecedores maiores, com maior curso. Na suspensão traseiras, foram introduzidas novas barras de torção com diâmetro de 24 mm. Nova posição dos amortecedores traseiros.


Video com comercial antigo do Zwitter.

Outro video com o lançamento do Zwitter.

4 comentários:

  1. Olá!Gosto muito do seu blog,parabéns pela iniciativa que salva muito fusqueiros e fusqueiras assim como eu para tirar dívidas e obter conhecimento sobre os vws!Por favor me ajude numa questão!? Tenho um fusca 1959, c/ velocimetro vdo 120km, comprei um horasa para saubstituir os ponteiros...É fácil e trocar o ponteiro de plastico pelo de ácrilico?obrigada.
    Abço Fabiani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, obrigado pelo elogios, é sempre um incentivo para continuar. Quanto ao velocímetro, sim, não é dificil fazer a substituição do ponteiro do velocímetro. Qualquer boa casa que mexa com velocímetro fará o serviço.

      Excluir
  2. ola amigos, vocês teriam a tabela com números de chassi, motor e cambio entre os meses 01 a 09 de 1952?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, me manda um email para opasgarage@hotmail.com que eu te mando a tabela. abraços.

      Excluir