Fusca

Fusca

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

CABEÇOTE DA SUSPENSÃO


O cabeçote da suspensão dianteira do Fusca, também conhecido por "suporte do eixo dianteiro", "cabeçote do chassi" ou, simplesmente "focinho de porco", é parte integrante do chassi do Fusca, sobre o qual é fixado o quadro da suspensão dianteira. É por sua abertura frontal que se retira o varão do câmbio, sempre que necessário para sua manutenção. Também é pela parte superior do cabeçote que se inicia a linha de combustível que interliga o tanque ao motor. 

Vista explodida do cabeçote da suspensão dianteira.

O cabeçote do chassi é composto de três partes distintas: chapa frontal onde é fixado o quadro da suspensão e de onde sai o varão de câmbio, o cabeçote propriamente dito que se fixa ao túnel central e a chapa inferior, conhecido popularmente por bandeja ou asa de morcego. Ao conjunto completo, com as três partes unidas por solda, dá-se o nome de cabeçote montado. Uma tampa o cobre o orifício da chapa frontal, fixada por dois parafusos sextavados (M 6x12 DIN 933, galvanizados) e uma junta de borracha.
  
Vista da parte superior do cabeçote.

A despeito de ter havido modificações no formato do cabeçote ao longo dos anos, uma das maneiras mais simples de se identificar parte dessas alterações é por meio da observação do "shape" da chapa frontal e da tampa que a cobre. Isso permitirá, inclusive, indicar se o cabeçote foi, ou não, trocado, uma vez que, via de regra, quando ocorre esse reparo, coloca-se um cabeçote "moderno" considerando que os "antigos" não são mais fabricados.


Chapa frontal do cabeçote: modelo utilizado até 1967.

A chapa frontal do cabeçote utilizado até agosto de 1967, dado o formato de sua abertura, passou a ser popularmente conhecido por "focinho de porco". Os dois pequenos orifícios, que eram utilizados até 1955 para acomodação dos cabos do freio de mão, assemelham-se bastante às narinas de um porco.

"Focinho de Porco": designação popular dada ao cabeçote do chassi.

Até 1955, a tampa utilizada para cobrir o cabeçote do chassi era avantajada, pois precisava cobrir as partes e peças do cabo de freio de mão que, até aquele ano, ficava ali localizado para permitir sua regulagem ou troca. Do mesmo modo, essa tampa "gordinha" visava bem cobrir o sistema de varão que ainda era utilizado no Fusca Standard (no Fusca Luxo/Exportação os freios hidráulicos foram introduzidos já a partir de abril de 1950).


Tampa do cabeçote do chassis utilizada até julho de 1955, chassi 1-929.745.

"Varão" do freio de mão utilizado até julho de 1955.

A partir do lançamento do modelo 1956, ocorrido em agosto de 1955, o formato do cabeçote permaneceu o mesmo; mudou, apenas, a tampa, que passou a ser fininha. Essa mudança na tampa só foi possível em face da mudança do local de regulagem do cabo do freio de mão que passou do cabeçote para próximo da alavanca.

Nova tampa do cabeçote utilizada a partir do modelo 1956.

Em agosto de 1967, nova mudança. Desta feita, a abertura da chapa frontal do cabeçote mudou e passou do formato "focinho de porco" para uma abertura retangular. Com isso, a tampa também foi alterada, diminuindo seu tamanho.

Cabeçote utilizado a partir de agosto de 1967, chassi B 7-380 066 até maio de 1978.

Importante lembrar que, a partir de agosto de 1970, com o lançamento do Fusca 1500, que passou a utilizar suspensão dianteira de pivô, o cabeçote foi modificado para esse modelo (e para os demais que utilizavam suspensão de pivô). Esses cabeçotes tiveram mudanças em seu formato para acomodar a nova suspensão, dentre elas uma distância maior entre os parafusos de fixação do quadro da suspensão. A partir de então - e até 1981 - coexistiram dois tipos de cabeçote: um para a suspensão de embuchamento (modelo 1300) e outra para suspensão de pivô (modelos 1300-L, 1500 e 1600).

Fusca 1975 com tampa pequena.

Acima, perceba a diferença no tamanho entre as tampas do cabeçote. A pequena utilizada a partir de agosto de 1967 e a maior, utilizada de agosto de 1955 até julho de 1967.

Em junho de 1978 ocorreu outra alteração no cabeçote. Desta feita, o orifício destinado à retirada do varão de câmbio passou a ser completamente redondo, ocasião em que se introduziu uma tampa plástica para fechamento do local.

A partir de junho de 1978, nova alteração no cabeçote, agora com orifício central totalmente redondo.

Agora, a tampa do cabeçote passou ter formato redondo e feita em material plástico.

Em novembro de 1981, todas as versões do Fusca passaram a vir equipados com suspensão por pivô, ocasião em que o cabeçote frontal do chassi passou a ser o mesmo para todos os modelos.

5 comentários:

  1. Boa tarde. Por mais que está fora do assunto da postagem, gostaria de saber sobre as séries dos fuscas. Como sei identificar um fusca de 1ª série ou de 2ª série? Você teria algum material de leitura para indicar? Tenho um fusca 1976, branco, 1300 L e estou tentando colocar apenas peças originais ou de fabricação atual semelhantes às originais. E esta dúvida sempre atrapalha na escolha de algumas peças.

    Obrigado se puder ajudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, mande o número do teu chassi para opasgarage@hotmail.com. daí te informo o mes/ano de fabricação.

      Excluir
  2. O site não colocou a foto do cabeçote do fusca 1963, tenho o cabeçote e é intermediário entre os anos 1956 e 1967.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mande uma foto dele pra gente (opasgarage@hotmail.com)

      Excluir
  3. muito legal, cheguei aqui porque estou procurando os tubos roscados/porcas que vão dentro do cabeçote....tenho um 61 e não queria trocar o cabeçote, queria restaurar mas não acho os tubetes.... acho que o jeito será achar um cabeçote condenado que alguém trocou e retirar os tubetes.... abraços

    ResponderExcluir