Fusca

Fusca

terça-feira, 7 de março de 2017

TARTARUGA DE KOMBI


Não! Aviso logo que não se trata de um acessório para deixar a Kombi mais vagarosa ou, ainda, para troçar com sua natural lerdeza.
 

Bojo do farol da Kombi visto da cabine.

O acessório que hoje apresentamos é conhecido como Tartaruga pela simples razão de seu formato lembrar a couraça que salvaguarda esse animal. Tem como como função proteger o bojo do farol que, na Kombi Corujinha, fica projetado para o interior da cabine, suscetível, portanto, a danos.
 
Repare no desgate no bojo do farol ocasionado por anos de uso contínuo.


Tartaruga instalada na Kombi.

O bojo original da Kombi Corujinha era pintado na cor da carroceria. Por ficar muito próximo aos pés dos ocupantes, via de regra a pintura nesse local ficava desgastada pelo constante roçar dos pés no local. Além disso, algumas pessoas tinham o péssimo hábito de utilizar o bojo como apoio para descanso dos pés, principalmente no lado do carona.

O protetor era emborrachado.

Para proteger a pintura do compartimento interno do farol, a indústria de acessórios criou a Tartaruga. Tal como na natureza, a couraça protege o quelônio, a Tartaruga automotiva protege o bojo do farol da velha senhora.  

Tartaruga.

O protetor do bojo do farol era feito com uma borracha grossa e era simplesmente encaixado no local. Para sua instalação, contudo, era necessário primeiro retirar a forração de eucatex que cobre a parte inferior da cabine (popularmente conhecida como "óculos"). Encaixada a Tartaruga, a forração é recolocada. Como o protetor possui abas laterais que avançam no formato do bojo, a recolocação da forração original confere um perfeito acabamento ao local.

Acessório tipicamente brasileiro, era vendido nas boas casas do ramo nos anos 60 e 70. Foi fabricado por uma empresa chamada VISANI.
 

Detalhe da etiqueta da loja de acessórios onde foi vendido: Comercial Takauto, de São Paulo (SP). Observe também o nome do acessório na tarjeta: "Tartaruga Kombi".

Fabricado por empresa brasileira de nome VISANI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário