Fusca

Fusca

sexta-feira, 29 de junho de 2018

MARCADOR MANUAL

Tankfix alemão: hora de abastecer!

Os marcadores manuais de controle da quilometragem percorrida pelo veículo, acessório de época da década de 1950 e 1960, podiam ter diversas finalidades: a) controle de consumo de combustível na época em que o Fusca saia de fábrica sem o medidor, evitando que o veículo tenha pane seca; b) controle da troca periódica do óleo do motor, geralmente a cada 2.500 km rodados; c) simples controle de consumo do combustível; d) controle da quilometragem percorrida de um ponto a outro. 

Os diversos modelos e finalidades dos marcadores manuais.

Para efetuar esse controle, o motorista deve assim proceder: suponhamos que o acessório seja utilizado para controle do consumo  de gasolina com vistas a evitar uma pane seca; no momento de abastecer totalmente o tanque de combustível, tomando por base a km constante no hodômetro do velocímetro, deve-se adicionar no marcador manual a km máxima que o veículo pode percorrer com o tanque cheio. Exemplo: o velocímetro marca 86.450 km; o Fusca 1200, via de regra, tem um consumo de 10 km/litro. Portanto, um tanque de 40 litros tem autonomia para percorrer 400 km. A partir dessas premissas, o motorista gira o marcador manual até chegar no número 86.850. O marcador é então colocado no painel (o apetrecho possui um ímã em sua parte de trás, o que permite seja fixado em qualquer superfície metálica), próximo dos olhos do motorista, que controlará a km percorrida. Quando chegar próximo de 86.800 km, saberá que deve procurar um posto para abastecer, pois terá autonomia de apenas 50 km com o combustível que lhe resta.

Alguns eram feitos na cor marfim para combinar com os botões do Fusca.

Se o equipamento for utilizado para ajudar a lembrar da troca periódica do óleo, bastaria o motorista adicionar 2.500 km (quilometragem recomendada na época para troca de óleo do motor do Fusca) à quilometragem atual. 

Marcador no painel de um besouro: combinando com os botões.

Por outro lado, se for utilizado para ajudar na verificação da média de consumo, o marcador deverá ser marcado com a quilometragem atual. Posteriormente, quando o tanque for novamente abastecido, o motorista poderá calcular o consumo médio (quilometragem atual do velocímetro (-) quilometragem constante do marcador manual (/) quantidade de litros para encher o tanque).

Meko: marca alemã do medidor manual.

O charmoso acessório, além de útil, embelezava o painel do besouro, principalmente quando combinasse com os botões originais. Na Alemanha, onde se popularizou seu uso, destaca-se as marcas Meko, Tankfix e Kilometer-Boy. Alguns modelos tinham uma segunda função, como por exemplo, um termômetro que marcava a temperatura ambiente. Os modelos específicos tinham sua finalidade escrita no apetrecho: "Tanken bei km-Stand" por exemplo significa "abasteça o tanque em ... km"; "Oelwechsel bei km-Stand" significa "Troque o óleo em .... km"; "Abfahrt bei km-Stand" significa "Km na partida ...".

O marcador Meko no painel de um Fusca.

Medidor Meko no painel de um Fusca Oval.

Folder que acompanhava o medidor Meko.

No Brasil, a marca mais conhecida é Km-Set, produzido por Gonçalves & Leite Ltda, de Porto Alegre (RS), que tinha a finalidade de controlar o consumo médio de combustível do veículo. Esse medidor foi um presente especial de Christian M. Jung que comanda o excelente blog Macfuca (www.macfuca.blogspot.com). Vale a pena uma visita!

KM-Set: marca nacional.

Panfleto do marcador KM-Set: instruções para uso.

O medidor em um Fusca nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário